Postagens populares

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

JESUS, BEBEU VINHO EMBRIAGANTE??? A BIBLIA AVALIZA O USO DE VINHO OU BEBIDAS ALCOÓLICAS?

O diabo vem há muito tempo utilizando a velha estratégica que tem levado boa e muita gente para o inferno e à desgraça. Esta velha estratégica é: USAR TEXTOS ISOLADOS E TORCIDOS, FORA DO CONTEXTO,  COM SENTIDO DE AVALIZAR OU DAR LEGALIDADE AO PECADO. E UM DOS TEMAS MAIS USADOS POR ele é: aquele referente ao uso de bebidas alcoólicas "COM MODERAÇÃO";  QUE JESUS TERIA TRANSFORMADO ÁGUA EM VINHO EMBRIAGANTE NAS BODAS DE CANÁ (João 2); e o TEXTO PROVÉRBIOS 31.6 e 7.

Neste estudos esclarecer você poderá tirar suas dúvidas e não mais ser levado em volta pelo engano de satanás e por ventos e doutrinas ("Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente."  (Efésios 4 : 14) -"Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;"  (II Pedro 3 : 17) -"Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;"  (I Pedro 5 : 8).

I - DEZ PROVAS QUE JESUS NUNCA FEZ NEM BEBEU VINHO ALCOÓLICO:

1. Por causa da Sua Santa Natureza. 

Em Heb. 7:26 lemos que o Senhor Jesus é "santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores." Sem dúvida que "Deus se manifestou em carne" (1Tim. 3:16), se tornando o Salvador-Homem. Ele poderia ser visto por qualquer pessoa e elas viam a Sua total santidade. Profanos soldados, por exemplo, que foram enviados para prendê-lO, deram a desculpa de não terem trazido-O, a de que "Nunca homem algum falou assim como este homem." (Jo. 7:46). As palavras de Jesus eram diferentes, Ele sem sombra de dúvida tinha caráter, fala e aparência santos. Por que isso é tão importante? Considere essa ilustração. A palavra "cidra" pode significar o vinho alcoólico ou simplesmente suco de uva. Suponhamos que nós vivêssemos durante os anos de 1920, durante o período da proibição de álcoolismo nos Estados Unidos (aliás um período maravilhoso de diminuição drástica da criminalidade). Suponhamos que se aproximassem duas pessoas oferecendo um gole de cidra. Uma das pessoas, o homem mais santo da cidade, fiel na casa de Deus, separado do mundo, diligente em suas orações, e sempre testemunhando a outros; o outro um vendedor de bebida alcoólica. Se ambos oferecessem um gole de sua "cidra," nós assumiríamos que o que o homem santo estava a oferecer era suco de uva e não haveria dúvida alguma sobre o que o vendedor de álcool estava se referindo. Obviamente, o caráter da pessoa influencia o que essa pessoa faz. Desde que Jesus Cristo era "santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores," nós podemos assumir seguramente que Ele não faria o aquilo que as Escrituras chamam de algo escarnecedor, enganador dos homens, algo que causa desgraças indescritíveis.

2. Por que Ele não poderia contradizer as Escrituras.
 

 Em Mt. 5:17-18, Cristo deixou muito claro dizendo: Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido." Portanto, Cristo não poderia ter entrado em contradição com Hab. 2:15 que diz: "Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro! Ai de ti, que adiciona à bebida o teu furor, e o embebedas para ver a sua nudez!   Certamente Jesus sabia que esse verso estava na Bíblia, pois Ele é o Autor dela! Ele não apenas era muito bem familiarzado com as Escrituras, mas como Dono e Autor, Ele sabe que acerca dEle as Escrituras foram escritas. Ele não veio para violar as Escrituras, mas para cumprí-las. Ele não poderia fazer isso se tivesse feito vinho alcoólico e se o tivesse dado ao seu próximo. Algumas pessoas tentam refutar o uso desse verso e essa conclusão clara, dizendo que a aplicação seria apenas para aquele que estava dando de beber ao seu próximo com a intenção de descobrir a nudez. O pecado seria apenas a intenção, não o beber álcool. Entretanto, mesmo que não haja essa intenção, devemos nos lembrar que quando alguém dá ao seu próximo algo que o faz bêbado, ele já está pecando e está colocando a si mesmo na mesma classe daqueles que têm a intenção: o resultado será o mesmo: a nudez.

E como as Escrituras ordenam que evitemos "toda a aparência do mal" (1Ts. 5:22), nós podemos ter a certeza de que o Senhor Jesus jamais poderia ter feito algo que o associaria com tal prática maligna descrita em Hab. 2:15. Pela mesma razão, nenhum crente deveria se envolver na venda de bebida alcoólica.

3. Porque em Lev. 10:9-11, há o mandamento de que o sacerdote de Deus não podia beber vinho nem bebida forte.
 

"Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da congregação, para que mão morrais... para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo. E para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado..." Agora, desde que em Heb. 2:17 chama Cristo de "misericordioso e fiel sumo sacerdote,"  nós esperaríamos que ele obedecesse todas a Escritura, inclusive o que diz respeito ao seu ofício. Se Ele tivesse feito ou bebido vinho alcoólico, Ele teria desobedecido esses versos e teria se desqualificado para ensinar os filhos de Israel os estatutos do Senhor.

4. Porque, como já visto, em Prov. 31:4-5 está a proibição para reis e príncipes beberem vinho alcoólico ou qualquer outra bebida forte. Se eles o fizessem, seus julgamentos seriam  pervertidos.
 

Era necessário para Cristo obedecer estes versos também, pois Ele é o Príncipe da Paz (Isa. 9:6), e Rei dos reis (Apoc. 19:16). Em Mat. 27:11 Ele admitiu ser o Rei dos Judeus. Ele montou num jumentinho para cumprir Zac. 9:9, que profetizou que o rei de Israel entraria na cidade daquela maneira. Sem dúvida, desde que Ele era Rei, como tal Ele jamais poderia ter bebido vinho alcoólico, pois teria que ter obedecido Pv. 31:4-5.

 

 5. Porque Cristo não veio para escarnecer nem enganar as pessoas.
 

Entretanto, em Prov. 20:1 lemos que o vinho alcoólico faz as duas coisas. Ao invés de escarnecer e enganar, ele veio para salvar!

6. Porque Cristo não veio para mandar as pessoas para o Inferno. 

Nós já vimos que Isa. 5:11-14 ensina que o Inferno irá se alargar por causa da bebida alcoólica. Cristo não veio para mandar pessoas para o Inferno. Ouçamos Jo. 3:17: "Porque Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele." 

7. Porque Cristo não veio para lançar uma pedra de tropeço perante ninguém. 

Todavia, lemos em Rom. 14:21 que a pessoa que dá bebida alcoólica a outra, faz exatamente isso. "Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer coisas em que teu irmão tropeçe, ou se escandalize ou enfraqueça." Qualquer um que tenha estudado o problema do alcoolismo, aprendeu que algumas pessoas não podem lidar com nenhuma quantidade de álcool, enquanto que outras podem beber um ou dois copos "socialmente" e parar. Especialistas não sabem porque isso acontece. Várias teorias foram propostas, mas nada foi provado quanto a algo comum a todas as pessoas afetadas. Alguns dizem que é químico, outros insistem que deve ser psicológico. O fato é que nós não sabemos com certeza. Em qualquer grupo de pessoas, pode haver vários alcoólatras em potencial, caso eles comecem a beber. Que lástima, para uma pessoa, que seria um escravo em potencial, provar o primeiro gole de álcool na mesa do Senhor em uma igreja, e então prosseguir no caminho miserável do alcoolismo até o túmulo! Eu certamente não iria querer que os meus filhos provassem o primeiro gole (nem gole algum) numa reunião de família, muito menos numa igreja. Um ou mais deles poderiam ser alcoólicos em potencial. Como isso é possível, devemos considerar que algumas denominações que servem vinho alcoólico em seus cultos, também possuem casas de recuperação de alcoólatras para seus oficiantes! Todavia, podemos ficar absolutamente seguros que Cristo não veio para causar que outros tropeçassem!
 

8. Porque não há motivo algum para que o vinho de Caná em João 2 tenha sido alcoólico. 

Muitos insistem que aquele vinho era alcoólico com base em João 2:10 que diz: "Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho."  Eles dizem que naqueles dias era comum servir o melhor vinho alcoólico no começo da festa e guardar o pior para depois, quando o paladar das pessoas já estivesse estragado pela bebedeira. Todavia o ponto é exatamente o oposto aqui! Essas pessoas podiam reconhecer com certeza, que o vinho que Jesus fez era muito melhor do que o que fora servido no início. Isso não seria possível se eles já estivessem no estado de intoxicação alcoólica! O argumento  se auto destrói. O fato é que nenhum dos dois era alcoólico, mas puro suco de uva.
 
. Porque o Senhor Jesus Cristo não teria recebido glória alguma se tivesse feito pessoas bêbadas, mais bêbadas ainda! 
O verso 11 é de suma importância quando declara que, por intermédio desse milagre, Jesus "manifestou a sua glória." O verso 10 indica que as pessoas já tinham bebido "bem" daquilo que estavam bebendo. Se aquilo que estavam bebendo fosse álcool, eles estariam intoxicados ou quase. Se Cristo tivesse feito vinho alcoólico, Ele teria feito gente quase bêbada em mais bêbada ou completamente bêbada! Tal feito, com certeza, jamais poderia trazer nem manifestar glória nenhuma nEle.

10. Porque fazer pessoas bêbadas mais bêbadas ainda, jamais poderia fazer com que os discípulos cressem mais fortemente nEle.

Todavia no verso 11, lemos que como resultado do que Ele fez, transformar água em vinho, "seus discípulos creram nEle." Em Jo. 1:41, vemos que eles já criam nEle como Messias; isso entretanto, aprofundou a fé deles e uma prova de que eles não estavam errados. Será que fazer pessoas bêbadas, mais bêbadas iria inspirar tal fé? O oposto é o que aconteceria. Eles não procuravam por um Messias que distribuísse álcool de graça! Portanto, por causa da descrição desse milagre e o seu resultado, não podemos concluir outra coisa senão que esse vinho era suco de uva. 

A GLÓRIA DE JESUS MANIFESTA ATRAVÉS DO VINHO
Em João 2, vemos que Jesus transformou água em “vinho” nas bodas de Caná. Que tipo de vinho era esse? Conforme já vimos, podia ser fermentado ou não, concentrado ou diluído. A resposta deve ser determinada pelos fatos contextuais e pela probabilidade moral. A posição desta Bíblia de Estudo (Bíblia de Estudo Pentecostal) é que Jesus fez vinho (oinos) suco de uva integral e sem fermentação. Os dados que se seguem apresentam fortes razões para rejeição da opinião de que Jesus fez vinho embriagante.
(1) O objetivo primordial desse milagre foi manifestar a sua glória (João 2:11), de modo a despertar a fé pessoal e a confiança em Jesus como o Filho de Deus, santo e justo, que veio salvar o seu povo do pecado. (João 2:11 ; cf. Mateus 1:21). Sugerir que Cristo manifestou a sua divindade como o Filho Unigênito do Pai (1:14), mediante a criação milagrosa de inúmeros livros de vinho embriagante para uma festa de bebedeiras (João 2:10; onde subentende-se que os convidados já tinham bebido muito), e que tal milagre era extremamente importante para sua missão messiânica, requer um grau de desrespeito, e poucos se atreveriam a tanto. Será, porém, um testemunho da honra de Deus, e da honra e glória de Cristo, crer que Ele criou sobrenaturalmente é o mesmo suco de uva que Deus produz anualmente através da ordem natural criada (ver 2:3). Portanto, esse milagre destaca a soberania de Deus no mundo (3:1-15). Devido a esse milagre, vemos a glória de Cristo “como a glória do Unigênito do Pai” (1:14; cf. 2:11).
(2) Contraria a revelação bíblica quanto a perfeita obediência de Cristo a seu Pai celestial (cf. 4:34; Fp 2:8,9
) supor que Ele desobedeceu ao mandamento moral do Pai: “Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho…e se escoa suavemente”, i.e., quando é fermentado (Provérbios 23:31). Cristo por certo sancionou os textos bíblicos que condenam o vinho embriagante como escarnecedor e alvoroçador (Provérbios 20:1), bem como as palavras de Habacuque 2:15: “Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro!…e o embebedas” (cf. Levítico 10:8-11;  Provérbios 31: 4-7; Isaías 28:7; Romanos 14:21).
(3) Note, ainda, o seguinte testemunho da medicina moderna. (a) Os maiores médicos especialistas atuais em defeitos congênitos citam evidências comprovadas de que o consumo moderado de álcool danifica o sistema reprodutivo das mulheres jovens, provocando abortos e nascimentos de bebês com defeitos mentais e físicos incuráveis. Autoridades mundialmente conhecidas em embriologia precoce afirmam que as mulheres que bebem até mesmo quantidades moderadas de álcool, próximo ao tempo da concepção (c. 48 horas), podem lesar os cromossomos de um óvulo em fase de liberação, e daí causar sérios distúrbios no desenvolvimento mental e físico do bebê. (b) Seria teologicamente absurdo afirmar que Jesus haja servido bebidas alcoólicas, contribuindo para o seu uso. Afirmar que Ele não sabia dos terríveis efeitos em potencial que as bebidas inebriantes têm sobre os nascituros é questionar sua divindade, sabedoria e discernimento entre o bem e o mal. Afirmar que Ele sabia dos danos em potencial e dos resultados deformadores do álcool, e que, mesmo assim, promoveu e fomentou seu uso, é lançar dúvidas sobre a sua bondade, compaixão e seu amor.
A única conclusão racional, bíblica e teológica acertada é que o vinho que Cristo fez nas bodas, a fim de manifestar a sua glória, foi o suco puro e doce de uva, e não fermentado.

Fonte:


Fontes: Eu (Pr. nonato Ramos); e
            http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ComerBeber/FezJesusVinhoAlcoolico-BLackey.htm
            Bíblia de Estudo Pentecostal (Editora CPAD - 1995 - Páginas 1572 e 1573)

 II - O TEXTO DE PROVERBIO 31. 6 e 7

É inadmissível que o escritor inspirado tivesse a intenção de aprovar ou prescrever o embriagamento como meio de alguém esquecer-se de seus problemas de seus problemas ante aproximação da morte.. A receita de Deus para aflição é o ser humano buscá-lo em oração em oração, e não recorrer à bebida embriagante (Salmos 12.25; 30; 34.
Este versículo pode e deve ser interpretado como uma expressão irônica significando que a bebida forte tem a ver com aqueles que já arruinaram a sua vida e que não tem esperança, e não com os reis e governantes sábios que devem ser totalmente abstinentes (vv.4 e 5). Os versículos 8 e 9 descrevem o modo apropriado de se lidar com os prejudicados, cujos direitos foram violados (cf. v.5): o justo deve defender os direitos dos injustiçados.
Recomendar a embriaguez para ajudar alguém a esquecer dos seus problemas não os solucionaria; ante, criaria mais problemas. A tentativa de aliviar problemas através da embriaguez, pode ser método do mundo, mas não de Deus. 

Fonte: Biblia de Estudo Pentecostal (Editora CPAD - 1995 - Página 962)


III - VINHO NO VELHO E NOVO TESTAMENTO

PALAVRA HEBRAICA PARA “VINHO
De um modo geral, há duas palavras hebraicas traduzidas por “vinho” na Bíblia.
(1) A primeira palavra, a mais comum, é yayin, um termo genérico usado 141 vezes no AT para indicar vários tipos de vinho fermentado ou não fermentado (ver Neemias 5: 18, que fala de “todo o vinho [yayin]” = todos os tipos). (a) Por um lado, yayin aplica-se a todos os tipos de suco de uva fermentado (Gênesis 9: 20-21; Gênesis 19: 32-33; I Samuel 25:36-37; Provérbios 23:30-31). Os resultados trágicos de tomar vinho fermentado aparecem em vários trechos do AT, notadamente em Provérbios 23:29-35 (ver a próxima seção). (b) Por outro lado, yayin também se usa com referência ao suco doce, não fermentado, da uva. Pode referir-se ao suco fresco da uva espremida. Isaías profetiza: “já o pisador não pisará as uvas [yayin] nos lagares” (Is 16:10); semelhantemente, Jeremias diz: “fiz que o vinho [yayin] acabasse nos lagares; já não pisarão uvas com júbilo” (Jr 48:33). Jeremias até chama de yayin o suco ainda dentro da uva (Jeremias 40:10-12). Outra evidência que yayin, às vezes, refere-se ao suco não-fermentado da uva temos em Lamentações, onde o autor descreve os nenês de colo clamando às mães, pedindo seu alimento normal de “trigo e vinho” (Lm 2:12). O fato do suco de uva não-fermentado poder ser chamado “vinho” tem o respaldo de vários eruditos. A Enciclopédia Judaica (1901) declara: “O vinho fresco antes da fermentação era chamado yayin-mi-gat [vinho de tonel] (Sanh, 70a)”. Além disso, a Enciclopédia Judaica (1971) declara que o termo yayin era usado para designar o suco de uva em diferentes etapas, inclusive “o vinho recém-espremido antes da fermentação”. O Talmude Babilônico atribui ao rabino Hiyya uma declaração a respeito de “vinho [yayin] do lagar” (Baba Bathra, 97a). E em Halakot Gedalot consta: “Pode-ser espremer um cacho de uvas, posto que o suco da uva é considerado vinho [yayin] em conexão com as leis do nazireado” (citado por Louis Ginzberg no Almanaque Judaico Americano, 1923, pp. 408, 409). Para um exame de oinos, o termo equivalente no grego no NT, à palavra hebraica yayin, ver os estudos o VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO 1 e 2.
(2) A outra palavra hebraica traduzida por “vinho” é tirosh, que significa “vinho novo” ou “vinho da vindima”. Tirosh ocorre 38 vezes no AT; nunca se refere à bebida fermentada, mas sempre ao produto não-fermentado da videira, tal como o suco ainda no cacho de uvas (Isaías 65:8), ou o suco doce de uvas recém-colhidas (Deuteronômio 11:14; Provérbios 3:10; Joel 2:24). Brown, Driver, Briggs (Léxico Hebraico-Inglês do Velho Testamento) declaram que tirosh significa “mosto, vinho fresco ou novo”. A Enciclopédia Judaica (1901) diz que tirosh inclui todos os tipos de sucos doces e mosto, mas não “vinho fermentado”. Tirosh tem “benção nele” (Isaías 65:8); o vinho fermentado, no entanto, “é escarnecedor” (Provérbios 20:1) e causa embriaguez (ver Provérbios 23:31).
(3) Além dessas duas palavras para “vinho”, há outra palavra hebraica que ocorre 23 vezes no Antigo Testamento, e frequentemente no mesmo contexto – shekar, geralmente traduzida por “bebida forte” (e.g., I Samuel 1:15; Neemias 6:3). Certos estudiosos dizem que shekar, mais comumente, refere-se à bebida fermentada, talvez feita de suco de fruto de palmeira, de romã, de maçã, ou de tâmara. A Enciclopédia Judaica (1901) sugere que quando yayin se distingue de shekar, aquele era um tipo de bebida fermentada diluída em água, ao passo que esta não era diluída. Ocasionalmente, shekar pode referir-se a um suco doce, não-fermentado, que satisfaz (Robert P. Teachout: “O Uso de Vinho no Velho Testamento”, dissertação de doutorado em Teologia, Seminário Teológico Dallas, 1979). Shekar relaciona-se com shakar, um verbo hebraico que pode significar “beber a vontade”, além de “embriagar”. Na maioria dos casos, saiba-se que quando yayin e shekar aparecem juntos, formam uma única figura de linguagem que se refere às bebidas embriagantes.
A POSIÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO SOBRE O VINHO FERMENTADO.
Em vários lugares o AT condena o uso de yayin e shekar como bebidas fermentadas.
(1) A Bíblia descreve os maus efeitos do vinho embriagante na história de Noé (Gênesis 9:20-27). Ele plantou uma vinha, fez à vindima, fez o vinho embriagante de uva e bebeu. Isso o levou à embriaguez, à imodéstia, à indiscrição e à tragédia familiar em forma de uma maldição imposta por Canaã. Nos tempos de Abraão, o vinho embriagante contribuiu para o incesto que resultou em gravidez nas filhas de Ló (Gênesis 19:31-38).
(2) Devido ao potencial das bebidas alcoólicas para corromper, Deus ordenou que todos os sacerdotes de Israel se abstivessem de vinho e doutras bebidas fermentadas, durante sua vida ministerial. Deus considerava a violação desse mandamento suficientemente grave para motivar a pena de morte para o sacerdote que a cometesse (Levítico 10:9-11).
(3) Deus também revelou a Sua vontade a respeito do vinho e das bebidas fermentadas ao fazer da abstinência uma exigência para todos que fizessem voto do narizeado (ver próxima seção).
(4) Salomão, na sabedoria que Deus lhe deu, escreveu: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio” (Provérbios 20.1). As bebidas alcoólicas podem levar o usuário a zombar do padrão de justiça estabelecido por Deus e a perder o autocontrole no tocante ao pecado e à imoralidade.
(5) Finalmente, a Bíblia declara de modo inequívoco que para evitar ais e pesares e, em lugar disso, fazer a vontade de Deus, os justos não devem admirar, nem desejar qualquer vinho fermentado que possa embriagar e viciar (ver Provérbios 23:29-35).

OS NAZIREUS E O VINHO
O elevado nível de vida separada e dedicada a Deus, dos nazireus, devia servir como exemplo a todo israelita que quisesse assim fazer (ver Números 6:2). Deus deu aos nazireus instruções claras a respeito do uso do vinho.
(1) Eles deviam abster-se “de vinho e de bebida forte” (6:3; ver Deuteronômio 14:26); nem sequer lhes era permitido comer ou beber qualquer produto feito de uvas, quer em forma líquida, quer em forma sólida. O mais provável é que Deus tenha dado esse mandamento como salvaguarda ante a tentação de tomar bebidas inebriantes e ante a possibilidade de um nazireu beber vinho alcoólico por engano (6:3-4). Deus não queria que uma pessoa totalmente dedicada à Ele se deparasse com a possibilidade de embriaguez ou de viciar-se (cf. Levítico 10:8-11; Provérbios 31:4-5). Daí, o padrão mais alto posto diante do povo de Deus, no tocante às bebidas alcoólicas, era a abstinência total (6.3-4).
(2) Beber álcool leva, frequentemente, a vários outros pecados (tais como imoralidade sexual ou a criminalidade). Os nazireus não deviam comer nem beber nada que tivesse origem na videira, a fim de ensinar-lhes que deviam evitar o pecado e tudo que se assemelhasse ao pecado, que leva a ele, ou que tenta a pessoa cometê-lo.
(3) O padrão divino para os nazireus, da total abstinência de vinho e de bebidas fermentadas, era rejeitado por muitos em Israel nos tempos de Amós. Esse profeta declarou que os ímpios “aos nazireus destes vinho a beber” (ver Amós 2:12). O profeta Isaías declara por sua vez: “o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte, andam errados na visão e tropeçam no juízo. Porque todas as suas mesas estão cheias de vômitos e de imundícia; não há nenhum lugar limpo” (Isaías 28:7-8). Assim ocorreu, porque esses dirigentes recusaram o padrão da total abstinência estabelecido por Deus (ver Provérbios 31:4-5).
(4) A marca essencial do nazireado – i.e., sua total consagração a Deus e aos seus padrões mais elevados – é um dever do crente em Cristo (cf. Romanos 12:1; II Coríntios 6: 17; 7:1). A abstinência de tudo quanto possa levar a pessoa ao pecado, estimular o desejo por coisas prejudiciais, abrir caminho à dependência de drogas ou do álcool, ou levar um irmão ou irmã a tropeçar, é tão necessário para o crente hoje quanto o era para o nazireu dos tempos do AT (ver I Ts 5:6; Tt 2:2; ver os estudos O VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO (1) e (2)).
O VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO (1)
Lucas 7: 33,34Porque veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho , e dizeis: Tem demônio. Veio o Filho do Homem, que  come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e dos pecadores”.

VINHO: FERMENTADO OU NÃO FERMENTADO?
Segue-se um exame da palavra bíblica mais comumente usada para vinho. A palavra grega para “vinho”, em Lucas 7: 33, é oinos. Oinos pode referir-se a dois tipos bem diferentes de suco de uva: (1) suco não fermentado, e (2) vinho fermentado ou embriagante. Esta definição apoia-se nos dados abaixo.
(1) A palavra grega oinos era usada pelos autores seculares e religiosos, antes da era cristã e nos tempos da igreja primitiva, em referência ao suco fresco da uva (ver Aristóteles, Metereologica, 387.b.9-13). (a) Anacreontes (c. de 500 a.C.) escreve: “Esprema a uva, deixe sair o vinho [oinos]” (Ode 5). (b) Nicandro (século II a.C.) escreve a respeito de espremer uvas e chama de oinos o suco daí produzido (Georgica, fragmento 86). (c) Papias (60-130 d.C.), um dos pais da igreja primitiva, menciona que quando as uvas são espremidas produzem “jarros de vinho [oinos]” (citado por Irineu, Contra as Heresias, 5.33. 3-4). (d) Uma carta em grego escrita em papiro (P.Oxy. 729; 137 d.C.), fala de “vinho [oinos] fresco, do tanque de espremer” (ver Moulton e Milligan, The Vocabulary of the Greek Testament, p.10) (e) Ateneu (200 d.C.) fala de um “vinho [oinos]doce”, que não deixa pesada a cabeça” (Ateneu, Banquete, 1.54). Noutro lugar, escreve a respeito de um homem que colhia uvas “acima e abaixo, pegando vinho [oinos] no campo”(1.54). Para considerações mais pormenorizadas sobre o uso de oinos pelos escritores antigos, ver Robert P. Teachout: “O Emprego da Palavra Vinho no Antigo Testamento”. (Dissertação de Th. D. no Seminário Teológico de Dallas, 1979).
(2) Os eruditos judeus que traduziram o AT do hebraico para o grego c. de 200 a.C. empregaram a palavra oinos para traduzir varias palavras hebraicas que significam vinho (ver o estudo VINHO NOS TEMPOS DO ANTIGO TESTAMENTO). Noutras palavras, os escritores do Novo Testamento entendiam que oinos pode referir-se ao suco de uva, com ou sem fermentação.
(3) Quanto à literatura grega secular e religiosa, um exame de trechos do Novo Testamento também revela que oinos pode significar vinho fermentado, ou não fermentado. Em Efésios 5:18, o mandamento: “não vos embriagueis com vinho [oinos] “ refere-se ao vinho alcoólico. Por outro lado, em Apocalipse 19:15 Cristo é descrito pisando o lagar, O texto grego diz: “Ele pisa o lagar do vinho [oinos]”: o oinos que sai do lagar é suco de uva (ver Isaías 16:10, Jeremias 48:32,33). Em Apocalipse 6.6 oinos refere-se às uvas da videira como uma safra que não deve ser destruída. Logo, para os crentes dos tempos no Novo Testamento, “vinho” (oinos) era uma palavra genérica que podia ser usada para duas bebidas distintivamente diferentes, extraídas da uva: o vinho fermentado e o não fermentado.
(4) Finalmente, os escritores romanos antigos explicam com detalhes vários processos usados para tratar o suco de uva recém-espremido, especialmente as maneiras de evitar sua fermentação. (a) Columela (Da Agricultura, 12.29), sabendo que o suco de uva não fermenta quando mantido frio abaixo (abaixo de 10 graus C.) e livre de oxigênio, escreve da seguinte maneira: “Para que o suco de uva sempre permaneça tão doce como quando produzido, siga estas instruções: Depois de aplicar a prensa às uvas, separe o mosto mais novo [i.e., suco fresco], coloque-o num vasilhame (amphora) novo, tampe-o bem e revista-o muito cuidadosamente com piche para não deixar a mínima gota de água entrar; em seguida, mergulhe-o numa cisterna ou tanque de água fria, e não deixe nenhuma parte de ânfora ficar acima da superfície. Tire a ânfora depois de quarenta dias. O suco permanecerá doce durante um ano” (ver também Columela: Agricultura e Árvores; Catão: Da Agricultura). O escritor romano Plínio (século I d.C.) escreve: “Tão logo tiram o mosto [suco de uva] do lagar colocam-no em tonéis, deixam eles submersos na água até passar a primeira metade do inverno, quando o tempo frio se instala” (Plínio, História Natural, 14.11.83). (b) Outro método de impedir a fermentação das uvas é fervê-las e fazer um xarope (para mais detalhes, ver o estudo O VINHO NOS TEMPOS DOS NOVOS TESTAMENTOS (2)). Historiadores antigos chamavam esse produto de “vinho” (oinos). O Cônego Farrar (Smith’s Bible Dictionary , p. 747) declara que “os vinhos assemelhavam-se mais a xarope; muitos deles não eram embriagantes”. Ainda, O Novo Dicionário da Bíblia (p.1665), observa que “sempre havia menos de conservar doce o vinho durante o ano inteiro”.
O USO DO VINHO NA CEIA DO SENHOR
Jesus usou uma bebida fermentada ou não fermentada de uvas, ao instituir a Ceia do Senhor (Mateus 26:26-29; Marcos 14:22-25; Lucas 22:17-20; I Coríntios 11:23-26)? Os dados abaixo levam à conclusão de que Jesus e seus discípulos beberam no dito ato suco de uva não fermentado.
(1) Nem Lucas nem qualquer outro escritor bíblico emprega a palavra “vinho” (gr. Oinos) no tocante à  Ceia do Senhor. Os escritores dos três primeiros Evangelhos empregam à expressão “fruto da vide” (Mateus 26:29; Marcos 14:235; Lucas 22:18) O vinho não fermentado é o único “fruto da vide” verdadeiramente natural, contendo aproximadamente 20% de açúcar e nenhum álcool. A fermentação destrói  boa parte do açúcar e altera aquilo que a videira produz. O vinho fermentação não é produzido pela videira.
(2) Jesus instituiu a Ceia do Senhor quando Ele e seus discípulos estavam celebrando a Páscoa. A lei da Páscoa em Êxodo 12:14-20 proibia, durante a semana daquele evento, a presença do seor (Êxodo 12:15), palavra hebraica para fermento ou qualquer agente fermentador. Seor, no mundo antigo, era frequentemente obtido da espuma espessa da superfície do vinho quando em fermentação. Além disso, todo hametz (i.e., qualquer coisa fermentada) era proibido (Êxodo 12:19; 13:7). Deus dera essas leis porque a fermentação simbolizava a corrupção e o pecado (cf. Mateus 16:6,12; I Coríntios 5:7,8). Jesus, o Filho de Deus, cumpriu a lei em todas as suas exigências (Mateus 5:17). Logo, teria cumprido a Lei de Deus para a Páscoa e não teria usado vinho fermentado.
(3) Um intenso debate perpassa os séculos entre os rabinos e estudiosos judaicos sobre a proibição ou não dos derivados fermentados da videira durante a Páscoa. Aqueles que sustentam uma interpretação  mais rigorosa e literal das Escrituras hebraicas, especialmente Êxodo 13:7, declaram que nenhum vinho fermentado devia ser usado nessa ocasião.
(4) Certos documentos judaicos afirmam que o uso do vinho não fermentado na Páscoa era comum nos tempos no Novo Testamento. Por exemplo: “Segundo os Evangelhos Sinótipos, parece que no entardecer da quinta-feira da última semana de vida aqui, Jesus entrou com seus discípulos em Jerusalém, para com eles comer a Páscoa na cidade santa, neste caso, o pão e o vinho do culto de Santa Ceia instituído naquelqa ocasião por Ele, como memorial, seria o pão asmo e o vinho não fermentado do culto Seder” (ver “Jesus”. The Jewish Encyclopaedia, edição de 1904. V.165).
(5) No Antigo Testamento, bebidas fermentadas nunca deviam ser usadas na casa de Deus, e em sacerdote não podia chegar-se a Deus em adoração se tomasse bebida embriagante (Levítico 10:9). Jesus Cristo foi o Sumo Sacerdote de Deus do novo concerto, e chegou-se a Deus em favor do seu povo (Hebreus 3:1; 5:1-10).
(6) O valor de um símbolo se determina pela sua capacidade de conceituar a realidade espiritual. Logo, assim como o pão representava o corpo puro de Cristo e tinha que ser pão asmo (i.e., sem a corrupção da fermentação), o fruto da vide, representando o sangue incorruptível de Cristo, seria melhor representado por suco de uva não fermentado (cf. I Pedro 1:18,19). Uma vez que as Escrituras declaram explicitamente que o corpo e sangue de Cristo não experimentaram corrupção (Salmos 16:10; Atos 2:27; 13:37), esses dois elementos são corretamente simbolizados por aquilo que não é corrompido nem fermentado.
(7) Paulo determinou que os coríntios tirassem dentre eles o fermento espiritual, i.e., o agente fermentador “da maldade e da malícia”, porque Cristo é a nossa Páscoa (I Coríntios 5:6-8). Seria contraditório usar na Ceia do Senhor um símbolo da maldade, i.e., algo contendo levedura ou fermento, se considerarmos os objetivos dessa ordenança do Senhor, bem como as exigências bíblicas para dela participarmos.
O VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO (2)
João 2:11Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia e manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele”.
O VINHO: MISTURADO OU INTEGRAL?
Os dados históricos sobre o preparo e uso do vinho pelos judeus e por outras nações no mundo bíblico mostram que o vinho era: (a) frequentemente não fermentado; e (b) em geral misturado com água. O estudo anterior O VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO, aborda um dos processos usados para manter o suco de uva fresco em estado doce e sem fermentação. O presente estudo menciona dois outros processos de preparação da uva para posteriormente ser misturada com água.
(1) Um dos métodos era desidratar as uvas, borrifá-las com azeite para mantê-las úmidas e guardá-las em jarras de cerâmica (Enciclopédia Bíblica Ilustrada de Zonderyan, V. 882; ver também Columella, Sobre a Agricultura 12.44.1-8). Em qualquer ocasião, podia-se fazer uma bebida muito doce de uvas assim conservadas. Punha-se-lhes água e deixava-as de molho ou na fervura. Políbio afirmou que as mulheres romanas podiam beber desse tipo de refresco de uva, mas que eram proibidas de beber vinho fermentado (ver Políbio, Fragmentos, 6.4; cf. Plínio, História Natural, 14.11.81).
(2) Outro método era ferver suco de uva fresco até se tornar em pasta ou xarope grosso (mel de uvas); este processo deixava-o em condições de ser armazenado, ficando isento de qualquer propriedade inebriante por causa da alta concentração de açúcar, e conservava a sua doçura (ver Columella, Sobre a Agricultura 12.19.1-6; 20.1-8; Plínio, História Natural, 14.11.80). Essa pasta ficava armazenada em jarras grandes ou odres. Podia ser usada como geleia para passar no pão, ou dissolvida em água para voltar ao estado de suco de uva (Enciclopédia Bíblica Ilustrada, de Zondervan, V.882-884). É provável que a uva fosse muito cultivada para produção de açúcar. O suco extraído no lagar era engrossado pela fervura até tornar-se em líquido conhecido como “mel de uvas” (Enciclopédia Geral Internacional da Bíblia, V.3050). Referência ao mel na Bíblia frequentemente indicam o mel de uva (chamado debash pelos judeus), em vez do mel de abelha.
(3) A água, portanto, pode ser adicionada a uvas desidratadas, ao xarope de uvas e ao vinho fermentado. Autores gregos e romanos citavam várias proporções de mistura adotadas. Homero (Odisséia, IX 208ss.) menciona uma proporção de vinte partes de água para uma parte de vinho. Plutarco (Symposíacas,III.ix) declara: “Chamamos o vinho diluído, embora o maior componente seja a água”. Plínio (História Natural, XIV.6.54) menciona uma proporção de oito partes de água para uma de vinho.
(4) Entre os judeus dos tempos bíblicos, os costumes sociais e religiosos não permitiam o uso de vinho puro, fermentado ou não. O Talmude (uma obra judaica que trata das tradições do judaísmo entre 200 a.C. e 200 d.C.) fala, em vários trechos, da mistura de água com vinho (e.g., Shabbath 77a; Pesahim 1086). Certos rabinos insistiam que, se o vinho fermentado não fosse misturado com três partes de água, não podia ser abençoado e contaminaria quem o bebesse. Outros rabinos exigiam dez partes de água no vinho fermentado para poder ser consumido.
(5) Um texto interessante temos no livro de Apocalipse, quando um anjo, falando do “vinho da ira de Deus”, declara que ele será “não misturado”, i.e., totalmente puro (Apocalipse 14:10). Foi assim expresso porque os leitores da época entendiam que as bebidas derivadas de uvas eram misturadas com água (ver  João 2.3).
Em resumo, o tipo de vinho usado pelos judeus nos dias da Bíblia não era idêntico ao de hoje. Tratava-se de (a) suco de uva recém-espremido; (b) suco de uva assim conservado; (c) suco obtido de uva tipo passas; (d) vinho de uva feito do seu xarope, misturado com água e (e) vinho velho, fermentado ou não, diluído em água, numa proporção de até 20 para 1. Se o vinho fermentado fosse servido não diluído, isso era considerado indelicadeza, contaminação e não podia ser abençoado pelos rabinos. À luz desses fatos, é ilícita a prática corrente de ingestão de bebidas alcoólicas com base no uso do “vinho” pelos judeus nos tempos bíblicos. Além disso, os cristãos dos dias bíblicos eram mais cautelosos do que os judeus quanto ao uso do vinho (ver Romanos 14:21; I Tessalonicenses 5:6; I Timóteo 3:3 e Tito 2:2).

Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal (Editora CPAD - 1995 - Páginas 241 e 242, 1517, 1518 1572 e 1573) 

 

segunda-feira, 25 de julho de 2016

"QUE VESTIREI?"... só quem for mulher cristã de verdade gostará deste livro

"QUE VESTIREI?"

A mulher aprazível guarda a honra, como os violentos guardam as riquezas.
(Prov. 11:16)
Como jóia de ouro em focinho de porca, assim é a mulher formosa, que se aparta da discrição.
(Prov. 11:22)
Adaptação de vários estudos por

Marcelo de Oliveira Lima



No início do nosso ministério, meu esposo me animou a que pusesse, numa fita cassete, algumas mensagens para senhoras. Como eu não tinha muita facilidade em falar, e talvez nunca terei, ele teve que me pedir várias vezes até me convencer a atender o seu pedido. Finalmente, decidi começar e um dos temas foi o vestir das mulheres, que recebeu o título "What In The World Should I Wear?" ("AFINAL, QUE DEVO EU VESTIR?") O Senhor havia confirmado este tema em meu coração através da Sua Palavra, e eu simplesmente queria compartilhar o que creio, compartilhar que eu tenho a responsabilidade, diante de Deus, de vestir-me de uma forma feminina e pudica, e que tudo isto é segundo a Bíblia. Várias mulheres me disseram que esta mensagem havia respondido suas perguntas e as ajudou a entender e firmar convicções bíblicas como jamais o haviam feito.
Uma dessas mulheres foi Dianne McDonald, que insistia para que eu publicasse esta mensagem, a fim de que outras mulheres a pudessem receber. Creio que eu não estava convencida de que tinha algo a dizer que alguém mais não pudesse dizê-lo melhor, mas cada vez que falava com Dianne ela me assegurava que muitas mulheres seriam ajudadas por este estudo e que era preciso que eu fizesse algo mais com este material. Mas, com um tempo muito cheio, sempre viajando, e além de tudo sendo mãe, com a escola e a revista mensal, eu realmente não tinha tempo.

Há alguns meses, o Senhor pôs convicção em meu coração através de várias mulheres que conheço, e também através de umas igrejas onde este tema havia antes causado os maiores e mais desnecessários problemas. Eu disse ao Senhor que não sabia se eu podia ajudar, mas que eu faria minha parte. Então, nos quatro meses seguintes, submeti uma série de artigos ao periódico americano "Revival Fires" ("Fogos de Reavivamento"), contendo o mesmo material que eu havia estudado anos antes. Pedi ao Senhor que me ajudasse, fiz o melhor que pude, e os artigos foram publicados.
O interesse me surpreendeu. Depois de cada artigo, muita gente me escreveu pedindo cópias, outras pedindo permissão para fazer cópias para as mulheres em suas igrejas. Mulheres escreveram. Homens escreveram. Pastores escreveram. Pais de família escreveram. Falaram por telefone. Muita gente me surpreendeu ao dizer que a mensagem era exatamente o que suas igrejas, suas famílias e elas mesmas, estavam necessitando em suas vidas.
Muitas pessoas têm pedido este material em forma de livro e aqui está ele. Espero que seja de grande ajuda como tem sido para mim e, creio, para outros também. Porém, se o for, não agradeça a mim, porque provavelmente sem um bom empurrão eu não teria conseguido pôr nada no papel. Agradeçam a uma beleza de mulher que sabe animar as pessoas para que façam o que provavelmente já sabem que o Senhor quer que façam, mas não têm a confiança para fazê-lo. Muito obrigada, Dianne.

"QUE VESTIREI?"

PARTE 1

Alguma vez já lhe perguntaram isto? Eu já me perguntei. Quero que vocês façam esta pergunta literalmente: "Como hei de me vestir?" "Há disponível, neste mundo, roupa que seja realmente apropriada para mim, isto é, que agrade a Deus e com a qual poderei dar bom testemunho com minha aparência?" "Há roupa que dê glória a Deus quando me apresento diante das pessoas?"
Quero que você prometa diante do Senhor que vai aprender como ELE quer que você se vista e prometa que você vai obedecê-Lo. Não estou pedindo que se vista como EU digo que é correto ou apropriado; mas a desafio que prometa ao Senhor que, o que você vir na SUA PALAVRA, você vai aplicar, instantaneamente, a seu guarda-roupa. Prometa que você não vai desobedecê-Lo quando Ele lhe mostrar qual é a Sua vontade sobre como você se vestir. Nós, como mulheres, necessitamos da ajuda de Deus nesta área de nossa aparência, porque Sua Palavra diz que somos "cartas/epístolas viventes", e que os ímpios nos olham para determinar sua opinião sobre o verdadeiro cristianismo. Isto nos mostra que é importante, sim,'o como' nos vestimos, e que tudo está relacionado com' o que' somos, por dentro.
Esta mensagem não é dada com espírito mau amargo e briguento, nem de crítica; mas com a intenção de amar e ajudar as mulheres que desejam fazer o que é certo. Precisamos de um guia definido, não de regras feitas por seres humanos, nem de suas preferências; precisamos de uma norma que venha diretamente da Bíblia e que defina como DEUS deseja que as mulheres se vistam.
Há algumas mulheres que pensam: "Gosto da roupa que tenho e não vou trocá-la por nada, nem mesmo para obedecer e agradar o Senhor." Esta atitude não as ajudará. Mas eu sei que há mulheres que estão na mesma situação em que eu me encontrava antes, que querem fazer o que é correto, mas que não estão seguras do que exatamente é correto na área do vestir.
Minha atitude era: "Eu não vou trocar minha maneira de vestir para estar de acordo com cada pessoa que cruza meu caminho com idéias diferentes da pessoa anterior. Mas se eu soubesse exatamente o que DEUS quer, eu o faria imediatamente, para agradá-Lo."
Muitas pessoas me diziam que roupa eu deveria usar e que roupa não deveria usar; mas ninguém me dava uma boa razão bíblica para tirar minhas dúvidas, e isto fazia com que eu tivesse pouca confiança no que me diziam. Aprendi depois que o problema não era que tinham normas erradas; mas que tinham normas "herdadas", isto é, normas meramente recebidas de outros. Não sabiam o porquê delas, nem em que lugar poderiam ser encontradas nas Escrituras; e tão pouco sabiam o que Deus [Deus mesmo!] disse sobre como vestir-se apropriadamente.
Para as mulheres que sinceramente desejam fazer o que é certo, e para as que fazem o que é certo pelas normas que "herdaram", creio que esta mensagem pode ser de verdadeira ajuda para estabelecer normas definidas diretamente das Escrituras, acerca de como uma mulher deve vestir-se. Permita, hoje, que o Senhor responda sua pergunta: "Que vestirei?"

DE QUE SE TRATA?

O que vamos estudar agora não vai ser nenhuma revista de modas mundanas ou livros de como ser sensual ou sex, vamos sim estudar a Palavra de Deus, a Bíblia, e a Bíblia tem muito que dizer sobre o mundo e a vaidade mundana na vida do crente. (I Coríntios 7:31) diz: "E os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa." Aqui temos um ensino básico que podemos aplicar às normas de vestir. Diz-se, em essência, que não é mal USAR do mundo; é mal ABUSAR do mundo. Um vestido decente e na moda não é mal. O fato de ser atrativa não viola princípios bíblicos; mas devemos vestir-nos atrativamente de uma maneira que mostre ao mundo nossa feminilidade e não nossa sexualidade.
Algumas pessoas têm a falsa noção que o belo é mal, que as mulheres devem vestir-se de roupa feia, preta, enorme e horrível, devem prender todo o cabelo e não usar nenhuma maquiagem (é certo que o exagero desfigura algo criado por Deus de forma perfeita) para não chamar atenção. Mas Deus não fez as mulheres para serem feias! A mulher foi um ato de Deus para coroar a criação e Ele a fez mais bela que todas as paisagens de sua criação, todas as formosas obras da natureza, feitas por Suas mãos.
Por isto, quero que as mulheres saibam que nosso propósito sobre normas de vestir não é que as mulheres não sejam atrativas, eu disse atrativas e não desejáveis, mas ao contrário que sejam radiante belas e honrosas a Deus, aos anjos, ao seu marido. Se determinada classe de roupa está na moda, não podemos assumir que ela é automaticamente boa ou má. Necessitamos examiná-la à luz de uma lista (que estamos agora juntando) de versos da Bíblia. Não é mal USAR do mundo, quando há algo que satisfaz a norma Bíblica de vestir. É mal ABUSAR do mundo, vestindo-nos com certa roupa só porque está na moda. Viola a Palavra de Deus e danifica nosso testemunho diante do mundo.
Que "a aparência deste mundo passa", sabemos bem. A moda passa tão rápido que a roupa que antes era considerada "absolutamente indispensável" agora já não está na moda. Há uns dez anos, ríamos das fotos de nossas mães e asseverávamos que ninguém nos veria com aquele tipo de roupa; mas agora mesmo usamos algumas dessas roupas. Sem dúvida, amiga, suas filhas verão o mesmo ciclo de modas em suas vidas, se o Senhor tardar em voltar porque não há nada de novo debaixo do sol. Mas enquanto os últimos dias se aproximam, o Diabo põe mais pressão sobre o mundo em geral, e as modas do mundo em particular. Hoje em dia, há a nosso alcance menos e menos roupa que agrada a Deus.
Este era um problema nos dias do pregador Charles Spurgeon [mil oitocentos e tanto]. Em um sermão ele anunciou: "Londres recebe suas modas diretamente de Paris, e Paris as recebe diretamente do Inferno." Ele estava declarando mais verdades do que talvez damos conta. A Bíblia nos diz várias coisas muito distintas e claras acerca do mundano. Quando uma mulher se veste de uma maneira que anuncia sua sexualidade (sensualidade) ou promove uma imagem de UNISSEX ou MASCULINO, escutamos pregadores referirem-se às suas roupas como roupas mundanas. O mundanismo quase sempre se refere ao pecado de participação em práticas identificadas com o mundo, mas a ordem de Deus para o crente é: (Rm 12:2) E não vos conformeis com sete MUNDO/SÉCULO...
Mundo/século = Essa palavra utilizada por Paulo, não é a palavra grega "Kosmos", que significa o mundo físico, o mundo dos homens, e, sim, é o termo grego "AEON", que indica era ou época, o que envolve tudo quanto caracteriza tal época.
As Escrituras definem "o mundo" (AEON) não como um globo, mas como um sistema dominado por Satanás. II Coríntios 4:4 identifica Satanás como "o deus deste mundo/seculo" (aeon). De acordo com a chave linguistica do Novo Testamento, este termo grego "AEON mundo/século" nestas passagem, refere-se a toda aquela massa de pensamentos, opiniões, aspirações máximas, especulações, esperança, impulsos, objetivos e aspirações correntes à qualquer época no mundo.
O que a Palavra de Deus está dizendo, é que: a era ou época presente se caracteriza por uma série de condições e qualidades, costumes, padrões morais e espirituais, ditados e regidos por satanás.
Então o mundo é o reino que Satanás pôs para levar a cabo suas práticas e propósitos, para alcançar suas metas. Ser mundano é conformar-se aos desejos do deus deste mundo, da mesma maneira que o crente se conforma aos desejos do Deus do céu. (Isaías 14:12-14) define as metas de Satanás: Ele quis ser igual a Deus para eliminar o [verdadeiro] louvor a Deus e ganhar o louvor para si mesmo, e para reinar sobre a criação, tomando o lugar de Deus.
Porque é que os pregadores que temem ao Senhor pregam contra o mundanismo? É porque as coisas mundanas e o pecado roubam a glória que realmente pertencem a Deus e à justiça. Porque há tantos filmes mundanos? Porque induzem e glorificam toda classe de pecado e o apresentam como o Diabo quer que seja visto, para que o pecado não mais nos pareça sobremodo mal e pecaminoso, e nos acostumemos com sua presença. Por que se considera mundana a música rock, música sertaneja, Rap, Pop, axé music, samba? Porque sem cessar incutem maus padrões nas pessoas, através de letras e ritmos maus que passam a formar parte do subconsciente e afetam suas decisões e valores. Examine as perguntas e se dará conta que o mundanismo tem participação com o reino de Satanás, permitindo que o Diabo seja aceito e glorificado consciente ou inconscientemente e seja posto em um lugar preeminente em nossas vidas. O mundanismo, então, é um ato que traz glória ao reino de Satanás, da mesma maneira que a obediência ao Senhor traz glória ao reino de Deus. O mundanismo promove o pecado, enquanto a obediência a Deus promove a justiça. Você diz: "Eu não sou uma má pessoa por causa da maneira como me visto. Não sou uma fanática." No entanto, a Bíblia é clara, não deixa dúvidas ao declarar que não há uma posição intermediária em nenhuma área de nossa vida. Tiago 4:4 diz: "Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do MUNDO é inimizade contra DEUS? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do MUNDO constitui-se inimigo de DEUS." Não adianta querer distorcer, enfraquecer, amenizar a Palavra de Deus tirando a autoridade e assim tornar-se um adulterador da Palavra.
Contestar a norma de Deus no vestir, é eleger o vestir que promove o pecado e que traz glória a Satanás. Satanás por meio das aspirações mundanas sempre promovera a rebeldia contra Deus. O Diabo tem um estilo de roupa feminina concebida para promover sensualidade, fornicação, homossexualidade e toda classe de práticas libidinosas, vis e abomináveis. Spurgeon realmente estava dizendo a verdade quando disse que Paris traz suas modas diretamente do Inferno! Temos recebido mandamentos rígidos sobre a nossa relação com este mundo. Estes mandamentos refletem o perigo que o mundo representa para nossa vida espiritual. "Não ameis o MUNDO, nem o que no MUNDO há. Se alguém ama o MUNDO, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no MUNDO, a concupiscência da CARNE, a concupiscência dos OLHOS e a soberba da vida, não é do Pai, mas do MUNDO. E o MUNDO passa, e a sua concupiscência; mas AQUELE que faz a vontade de DEUS permanece para sempre." (I João 2:15-17). Deus não nos disse que não devemos amar o globo terrestre, ou não apreciar esta terra. Ele nos estava dizendo que não devemos amar o reino de Satanás aqui na terra, nem nada do que ele representa. Conheço mulheres que se colocariam contra Deus antes de se colocarem contra suas roupas anti-cristãs. Amam mais ao mundo de Satanás do que a Deus.
(Romanos 12:2) diz: "E não vos CONFORMEIS [não aceite, não incorpore, não tome o molde, não tome a forma]com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus."
Conformeis = indica a moldagem segundo um determinado padrão, em que uma coisa toma a forma de outra, adquirindo o seu caráter, mediante alguma influência ou poder exterior.
O verbo Conformar-se = "Schema", é contraste do vocábulo grego "Morphe" que é a raiz da palavra que pode ser traduzida por transformar.
Não devemos nos esforçar para nos conformarmos ao mundo e nem para sermos aceitos pela maneira de viver do mundo. O Diabo está pronto para nos pôr no seu molde e nos deixar com a forma do mundo através das práticas e desejos pecaminosos. Deus nos dá a alternativa de nos transformarmos à imagem de Cristo, a mesma forma de transformação que faz com que uma asquerosa lagarta se torne uma linda borboleta. Mas eu não posso ser ambas as coisas. Devo primeiramente me colocar contra a tentação de conformar-me ao Diabo, antes de poder ser transformada para a glória de Cristo.
A vaidade mundana danifica nosso testemunho, traz vergonha ao Evangelho de Cristo, apaga nossa consciência à voz e obra do Espírito Santo, e, separando-nos de Deus, impede nossa comunhão com Ele e a resposta às nossas orações. Não podemos ignorar os resultados da vaidade mundana.

PARTE 2

(Tito 2:5) "A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada."
Temperança (moderação)
(I Cor 9:25) "E todo aquele que luta de tudo se abstém". A palavra abstém quer dizer que nem tudo é lícito. Há algo que não convém. Aquele que quer receber o prêmio, tem que correr "de tal maneira que o alcanceis" (I Co 9: 24). Na vida do crente, há uma luta espiritual. O que não agrada o Espírito Santo faz parte de "tudo" a que "se abstém".
(Tito 2:5) "A serem moderadas, ... a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada." Tanto no falar, comer, beber, cuidar do lar, assim também no vestir.
Moderadas no grego significa: 1ª) de mente sã 2ª) se abster de desejos e impulsos, autocontrole, temperança. Ver também: (I Tim 3:2) "sóbrio"; (Tito 1:8), "moderado";(Tito 2:2), "prudentes";(Tito 2:5), "moderadas" (estes são todos os usos desta palavra grega no Novo Testamento, Concordância Fiel).
As modas vão mudando de época em época, mas a moderação nunca sai de moda para o crente. O mundo, que não conhece a Cristo, e assim desconhecedores do Espírito Santo, não sabe criar estilos de moda que honrem a Deus, mas a carne (I João 2:16) "Porque tudo o que há no mundo, concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos, e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo" . O crente deve andar diferentemente do mundo. Lembre-se a instrução para o crente é "não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Rom 12:2). Com um entendimento renovado, a vontade de Deus, em relação ao assunto de vestimenta, será conhecida. Lembremo-nos que a temperança é fruto do Espírito (Gl 5:22) "Mas o fruto do Espirito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança".
(I Timóteo 2:9-10) diz: "Que do mesmo modo as mulheres se ATAVIEM em traje HONESTO, com PUDOR e MODÉSTIA, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras."
O primeiro segredo deste versículo se vê na palavra "ataviem" que, com razão, não foi usada a palavra ‘vestirem’. A palavra grega significa: 1ª) ordenada, em ordem, pronta, preparada 2ª) ornamentar, adornar, 3ª) metáfora; embelezar com honra, ganhar honra.
O ornamento da mulher não é a sofisticação daquilo que ela usa como vestimenta. A beleza da mulher são as suas boas obras, portanto, uma das boas obras é se vestir"em traje honesto, com pudor e modéstia".
Traje honesto, nesta passagem, não se refere a uma característica subjetiva, vaga e indefinível da roupa, mas se refere a um tipo específico objetivo, preciso e definível de roupa. "KATASTOLE" é a palavra grega que é traduzida como traje honesto. A definição literal da palavra é "PEÇA DE VESTIR COMPRIDA E FROUXA". É com isto principalmente que podemos reavaliar nosso guarda-roupa! A norma bíblica para se vestir, então, é usar somente peças de vestir COMPRIDAS e FROUXAS, que ESCONDAM o corpo e até os contornos de uma mulher, que são reservados para apreciação somente pelos olhos de seu esposo. Que é que esta classe de roupas inclui?
Primeiramente, não inclui calças compridas como roupa feminina. Algumas igrejas e escolas permitem que as mulheres usem calças compridas para esportes e atividades físicas, pois acham ser mais decorosos do que vestidos ou saias; mas não há nada de decoroso em calças compridas. Não há maneira de esticar a regra bíblica de "algo de vestir comprido e frouxo" de modo a incluir calças compridas. Talvez sejam compridas, mas não são decorosas. O corpo de uma mulher não está completamente ESCONDIDO com uma calça comprida, está somente exibido em outra cor e textura as formas e orifícios do corpo da mulher. Toda a anatomia deve ser pudicamente escondida e coberta, KATASTOLE; as coxas, curvas, genitálias e as nádegas são especialmente enfatizadas pelas calças compridas isto é extremamente sensual, e sensualidade é obra da carne "(Gal 5:19) Portanto as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, LASCÍVIA (QUE É SENSUALIDADE)," algumas chegam a ser tão justas e tão transparentes que pode-se ver as roupas intimas por sob elas, enquadra-se aqui também costas, seios, e barrigas à mostra {SENSUALIDADE LASCÍVIA} .

Com pudor, no grego, quer dizer: 1ª) senso de humilhação (vergonha) ou de honra, modéstia, acanhamento, reverência, respeito pelos outros (Ver a mesma palavra grega também: (Heb 12:28), "reverência". Portanto, a vestimenta da mulher não deve ser aquela que chama a atenção a ela de alguma maneira (formato ou linhas que a destacam como mulher).
Lembre-se que a esposa foi feita para o marido (Gên. 2:18, 21-25). Aquilo que é diferente na mulher foi feito para o seu marido. As mulheres "sujeitas a seus maridos"(Ef 5:22) "vivem para atraírem e agradar somente a ele "(I Co 7:3b.); "A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que procede vergonhosamente é como apodrecimento nos seus ossos" ( Prov. 12:4) nunca para mostrar aos outros a sua beleza particular "criada para o seu marido" (Ef 5:33b.). A mulher foi feita assim, pois assim agrada o homem. Todo homem que vê a mulher, as suas diferenças, é atraído. Por isso, para que a palavra de Deus não seja blasfemada, a mulher deve embelezar-se "em traje honesto, com pudor e modéstia" o adorno dela sendo a sua sujeição ao seu marido e a Deus (Ef. 5:22-24) "Vós, mulheres, sujeita-vos a vossos maridoscomo ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres seja em tudo sujeitas a seus maridos"; (I Pe 3:1-6) "Semelhantemente vós, mulheres sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedece a Palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavras; considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espirito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto." .
(Tito 2:9), "A serem moderadas, castas ...a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada".
A palavra casta pode ser adequada às ações ou à vestimenta. Se a vestimenta tem aparência de pessoas que não são castas, as mulheres serão identificadas como mulheres de má fama, prostitutas, devassas, irreverentes, rebeldes, lésbicas, etc.
Casta, no grego significa: 1ª) que incita reverência, venerável, sagrada 2ª) puro. A maneira como a mulher se veste revela realmente o que ela é. A roupa que incita reverência ou pureza será um bom testemunho para a Palavra de Deus. Exemplo de mulheres não castas: (Isa 3:16-17) "Diz ainda mais o Senhor: Porquanto as filhas de Sião se exaltam, e andam com o pescoço erguidolançando olhares impudentes; e quando andam, caminham afetadamente, fazendo um tilintar com os seus pés. Portanto o Senhor fará tinhoso o alto da cabeça das filhas de Sião, e o Senhor porá a descoberta a tua nudez,"; (Is. 47:2,3) "Toma a mó, e mói a farinha; remove o teu véu, descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum."
Uma amiga minha me disse que sua decisão de limitar seu guarda-roupa a vestidos e saias foi o resultado de um estudo bíblico feito por e para mulheres. Todos os argumentos e razões da professora que fazia a demonstração foram em vão, até que disse: "Permitam-me demonstrar-lhes algo." Pediu às mulheres que fechassem seus olhos momentaneamente. Afixou na parede uma grande pintura de uma bonita mulher com castas e atrativas saia e blusa, pediu às mulheres que abrissem seus olhos, e então perguntou: "Qual é o ponto central da figura e que primeiro lhes atraiu a atenção? Onde os olhos se fixaram naturalmente?" Todas concordaram que seus olhos foram primeiramente atraídos pelo rosto da mulher.
Novamente pediu que fechassem os olhos. Quando abriram seus olhos viram um pôster grande de uma mulher com camiseta de malha e calça jeans ambas mais ou menos justas. Ela disse: "Sejam honestas com vocês mesmas, e digam-me: onde primeiro fixaram seus olhos no pôster?" Muitas mulheres presentes se surpreenderam ao notar que a maioria dos olhos foram primeiramente atraídos para a área dos quadris e a área das curvas acentuadas, antes de notar o rosto da mulher. Se isto ocorre num grupo de mulheres, quanto mais seria num grupo de homens? Para a minha amiga Joetta, esta foi toda a "evidência" que necessitava.
Calças compridas são mencionadas na Bíblia várias vezes e são chamadas de calções. Nunca são associadas com roupa de mulher. Falando da roupa dos sacerdotes, a Bíblia diz:"Faz-lhes também calções de linho, para cobrirem a carne nua; irão dos lombos até as coxas. E estarão sobre Arão e sobre seus filhos, quando entrarem na tenda da congregação, ou quando chegarem ao altar para ministrar no santuário, para que não levem iniquidade e morram; isto será estatuto perpétuo para ele e para a sua descendência depois dele." (Êxodo 28:42-43). Estes calções são roupa íntima masculina, usada por baixo de roupas compridas, ver contexto. Você só encontrará calças ou calções relacionadas com roupa masculina.
(Deuteronômio 22:5) diz:"Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, quem faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus."O dicionário define a palavra abominação como "algo extremamente sujo e totalmente odiável." As ações categorizadas nas Escrituras como abomináveis são as mais terríveis imagináveis, tais como homossexualidade, bestialidade, bruxaria e outras ofensas graves. Deus nos disse que Ele é assim: Ele tem a mais extrema repugnância pelas mulheres que se vestem com roupas de homens. Mas quem disse que calças compridas são roupas de homens? Deus disse. Ao contrário da maneira pela qual temos sido enganadas pelas artes, televisão, etc., a roupa dos homens e das mulheres NÃO eram iguais nos tempos bíblicos. Havia uma grande distinção entre suas roupas.
A maior diferença entre a roupa masculina de agora e a daquele tempo é apenas que aqueles homens se vestiam com roupas mais compridas e abundantes que a roupa usada pelos homens hoje em dia. Por cima de tudo, havia uma longa-túnica. Em algumas ocasiões de trabalho a suspendiam até os joelhos, porém quase sempre iam até bem mais abaixo. Sob ela, a roupa dos homens incluía um calção [como um bermudão ou ceroulão comprido e frouxo] e um cinturão especial. Quando um homem não estava trabalhando, procurava ficar com este cinto folgado, para sua comodidade.
Quando começava a trabalhar ou se envolvia com alguma atividade agitada, levantava alguns centímetros da cintura de sua longa-túnica externa e prendia esta dobra de sua vestimenta no cinturão usado com este propósito.
Isto livrava seus pés de atrapalhos e de se arrastar na lama, enquanto trabalhava. Todavia, o homem tinha bastante roupa posta, porque se vestia com calções compridos, por baixo de sua longa-túnica exterior. De acordo com os versículos anotados, "estes calções eram suficientemente compridos para cobrir desde os lombos e a cintura, até toda a extensão das coxas, chegando aos joelhos (ou ultrapassando-os)." Como resultado, todas as vezes que a frase "cingir os lombos" é mencionada na Bíblia, é sempre se referindo somente aos homens [levantando um pouco as suas longas túnicas, para que não se arrastem no chão]. O Senhor mandou Jó cingir os lombos por duas vezes e especificou que era isto uma prática exclusivamente para os homens. (Jó 38:3) diz: "Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás." (Jó 40:7) diz: "Cinge agora os teus lombos como homem; eu te perguntarei, e tu me explicarás."
Esta frase nunca é usada referindo-se a uma mulher, não há nenhuma outra referência que sugira que calças são roupas que mulheres possam usar. A prática de vestir-se com calças compridas internamente e com uma vestidura externa que nem sempre chega à batata das pernas, ou de levantar mesmo que temporariamente a orla das vestes externas deixando à mostra as pernas ou mesmo alguns centímetros das coxas acima dos joelhos ainda neste caso elas estariam cobertas pelos longos e largos calções, foi somente praticada por homens e somente aprovada para homens, de acordo com a BÍBLIA.
O que leremos adiante é do Dicionário Pictórico de Zondervan: "Alguns artigos de roupa feminina levavam até certo ponto o mesmo nome e a mesma fórmula básica que a do homem, mas havia suficiente diferença... para que, na aparência, a linha de demarcação entre o homem e a mulher fosse detectada facilmente." Vemos então que, mesmo à distância, era facílimo distinguir se um indivíduo era homem ou mulher. Temos uma desculpa esfarrapada quando dizemos que é aceitável que uma mulher se vista como homem e que um homem se vista como mulher, se pensarmos que isto se fazia nos tempos bíblicos. Isto simplesmente não é verdadeiro de modo algum.
Seguramente vocês já ouviram falar do cantor de rock-and-roll, "Boy George". Ele é um cantor de rock que se veste com roupa de mulher, usa cosméticos, usa penteados femininos e se faz e fala como mulher, quando canta. Uma publicação o descreve como "O mesclador de gêneros dos anos oitenta". DEUS nunca teve a intenção de que os sexos fossem confundíveis (Gen 1:27) "E criou Deus o homem à sua imagem; à sua imagem Deus o criou; macho e fêmea os criou", e não "macho-fêmea" ou "fêmea-macho" e isto em todas as áreas, e Ele DEUS deixa isto bastante claro em muitas outras passagens da Bíblia. O Senhor pôs diferenças específicas depois da queda entre o homem e a mulher quanto à roupa e ao comprimento do cabelo, para que uma pessoa imediatamente possa ser identificada pela sua silhueta; e nos deu mandamentos diretos e incisivos para que mantenhamos estas diferenças. O diabo tem procurado degenerar, degradar, desfigurar A COROA DA CRIAÇÃO que é o homem [macho e fêmea] e muitos tem se tornado abomináveis ao Senhor. Pessoas como Boy George estão transgredindo abertamente os limites que o Senhor colocou. São abomináveis a Deus. (Deuteronômio 22:5) diz: "Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus."
A seguinte carta foi escrita à colunista Ann Landers:
"Querida Ana:
Tua coluna no periódico faz um enorme bem. Há pouco tempo tocaste num tema que me ajudou tremendamente. Eu sou um desses homens que gostam de se vestir com roupa feminina. Um pouco antes de publicares a carta chamada "Esposa de Bobette", minha esposa descobriu a roupa feminina que eu tinha e mantinha bem escondida. Ela ficou histérica acusando-me de ser homossexual e marcou uma audiência com um advogado, para nos divorciarmos. Depois de ver tua coluna no jornal, ela cancelou sua audiência com o advogado e marcou uma consulta com o doutor. Ela trouxe consigo a coluna escrita no jornal. O doutor disse é verdade que muitos travestis não são homossexuais. Eles têm prazer em vestir-se com roupa feminina, mas não têm desejos de envolver-se em atividades homossexuais. Alguns homossexuais são travestis, por isso toda esta confusão. Sabendo muito bem que eu não posso deixar meu vício, minha mulher sai de casa durante uma tarde por semana enquanto eu "brinco de ser mulher". Prefiro estar só sem ser observado e ela respeita meus desejos. Sempre me asseguro de que as crianças estejam dormindo, fecho as cortinas e não respondo à campainha. Agora que posso levar a cabo meu pequeno "joguinho" com o conhecimento e aprovação de minha esposa, sinto-me 100% melhor. Meus nervos estão calmos e já não tomo mais tranqüilizante. Agradeço por ela ser tolerante.
Um admirador de Ana"
Seguramente, você reagiu igual a mim. Que nojo! Não podemos imaginar um homem tão pervertido e desordenado que se excita em vestir roupa feminina. Não podemos imaginar o nosso esposo, nosso filho, nosso irmão, nosso pai ou uma outra pessoa conhecida como o diácono da nossa igreja ou pastor, entretendo esses pensamentos ou praticando tais coisas. Só o pensar nisto nos traz repugnância. Agora pare e pense novamente sobre o assunto, só que invertendo os papeis do homem e da mulher.
Parece lógico que Deus está tão repugnado com isto como todos nós. (Deuteronômio 22:5) diz:"...nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus."Todo o bom senso nos faz saber que isto desagrada Deus.
Mas espere! Quem disse que os homens não devem vestir-se com vestidos? Como vocês sabem que vestidos são somente para mulheres? Penso que sabemos isto da mesma maneira que sabemos sobre o tamanho do cabelo: pelo que disse a Bíblia e pelo que a própria natureza nos ensina. Se a mulher deve usar roupas de maneira a distingui-la por sua feminilidade, e que essas roupas não deixe a mostra toda sua sensualidade, saias vestidos etc., e o homem não deve usar roupas de mulher, ou seja deve diferenciá-lo da mulher, então o que deve o homem usar? Ou o que restou para o homem usar? Deus programou em nosso conhecimento instintivo que as saias ou KATASTOLES ["peça de vestir compridas e frouxas"] são roupa de mulheres e os homens não as devem usar. Concordamos com Deus que tal prática deve ser considerada uma abominação.
Siga a linha de pensamento de Deus, por um momento: "Por que é que um homem não deve vestir-se com um vestido? Ah, boa resposta: Porque vestido é roupa só para mulheres! Bem, se um homem não deve vestir-se com um vestido, como deve vestir-se? Ah, outra resposta perfeita: com calças! Então não significa isto que calças são roupa para homens? Se um vestido é exclusivamente roupa de mulheres, que classe de roupa pertence exclusivamente e caracteriza um homem, na nossa cultura?"
Eu já vi homens de saias... e, claro, seguramente nunca me acostumarei com isto. Mas falhamos em recordar que há 50 anos ou menos as pessoas se escandalizavam ao ver uma mulher com calças compridas, como se escandalizam hoje ao ver um homem com uma saia. Era comum assumir que uma mulher que se vestia com calças compridas era uma aberração uma anormalidade, como também o é o homem que se veste com saias ou vestidos.
Por causa de tudo isto, reconhecemos que o Diabo pode nos enganar para aceitarmos qualquer classe de pecado, e este é o perigo secreto da televisão e da pressão do mundo.
Nesta geração, estamos tão acostumadas a ver mulheres de calças compridas que isto já não nos parece anormal; e muitas mulheres, nos anos 90, têm usado calças compridas por toda a sua vida. Vivemos em uma geração em que as moças, muitas vezes, nem sequer têm um vestido! Mas Deus não mudou. (Deuteronômio 22:5) diz:"Não haverá traje de homem na mulher ... porque qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus." Por negligenciarmos tais mandamentos, estamos com nossas mentes cauterizadas, elas não só a usam como as usam as mais sensuais e depravadas possíveis se não vejamos:
O que você diria se visse entrar em sua igreja um homem vestido com uma calça de lycra à marcar todo o seu órgão sexual, nádegas, pernas e também com uma camisa toda decotada e justa a mostrar todo o seu peito? Ficaria escandalizada sentiria repugnância, não é? Por que tais roupas não causam o mesmo sentimento quando usadas por mulheres? À resposta é: Porque estamos com nossas mentes cauterizadas por conviver com tais pecados e aceitá-los tentando nos convencer que Deus mudou sua opinião a respeito do assunto. Deus tem a mesma repugnância hoje pelas mulheres que se vestem com roupas de homem, como tinha quando a Bíblia foi escrita, Deus não muda (Mal 3:6) "PORQUE EU O SENHOR, NÃO MUDO;..."
(Hb 13:8) "JESUS É O MESMO, ONTEM, HOJE, E ETERNAMENTE"
(Tg 1:17) "EM DEUS NÃO HÁ MUDANÇA, NEM SOMBRA DE VARIAÇÃO".
As vezes fico a pensar o que levou as mulheres cristãs que a 30 anos atrás não usavam caças por saber que não iriam agradar a Deus, a estarem usando hoje em dia?
As saias para homens estão sendo introduzidas no mercado da moda e talvez em poucos anos, no futuro, serão tão comuns e aceitáveis como as calças compridas para as mulheres. Em um programa de televisão, Phil Donahue entrevistou desenhistas de moda sobre o futuro das saias para homens. Vários modelos estavam vestidos com saias, incluindo mesmo o Sr. Donahue.
Quando a entrevista se abriu para comentários da parte da audiência, as mulheres não tardaram em declarar sua repugnância por tão ofensiva prática. Donahue lhes respondeu: "Se é mau que homens se vistam com saias, então é igualmente mau que mulheres se vistam com calças compridas." Mas mulheres que insistem em que homens não devem vestir-se com roupa feminina estão dia após dia usando roupas masculinas! Mesmo mulheres crentes! Que absurdo!
Releiamos (Deuteronômio 22:5) [tradução literal]:"As roupas apropriadas a um homem não estarão sobre uma mulher, nem um homem vestirá a indumentária de uma mulher: porque abominação para Jeová teu Deus [é] qualquer um fazendo estas [coisas]."O mandamento de distinção na roupa é dirigida mais específica e rigorosamente a mulheres do que a homens. Os homens simplesmente não devem vestir-se com roupa feminina. Mas, quanto à mulher, Deus disse que ela não deve vestir-se tanto com o que pertence a um homem, quanto também ordenou que ela não pode vestir-se com qualquer coisa que pareça roupa usável por um homem. Note também: não é a roupa que é abominável a Deus, são as pessoas que se vestem com tais roupas."...porque abominação para Jeová teu Deus [é] qualquer um fazendo estas [coisas]."Quando a Bíblia usa a palavra abominação significa que este é um pecado gravíssimo. Certamente este não é um caso menos sério.
Espero que você seja sincera e submissa ao esquadrinhar a Palavra de Deus para responder esta pergunta: "Que vestirei?"

PARTE 3

Primeiramente, falamos sobre o que é o ser mundano, que é exatamente o oposto de ser aquilo que agrada a Deus. Sermos mundanos significa participarmos de qualquer prática que glorifica a nós mesmos e ao pecado, e facilita os planos do Diabo para nossa vida; assim como o sermos agradáveis a Deus traz glória a Cristo, exalta uma vida santa, e expressa submissão ao plano de Deus para nossa vida. A roupa mundana, então, é qualquer roupa que não glorifica a Deus por minha aparência; é aquela que se destaca pela sensualidade; ou se apresenta contra o plano de Deus, não mostrando diferença entre o homem e a mulher.
(I Cor 3:16-17) Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espirito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá, porque o templo de Deus, que sois vós, é santo/sagrado."
No grego [NAOS (templo)], quer dizer lugar Santíssimo. Então o crente é o lugar santíssimo onde o Espirito Santo fixa residência, e também diz que o templo que é o crente é sagrado/santo sagrado é algo dedicado a Deus, que pertence a Deus onde Ele manifesta a sua glória; uma crente que se veste sensualmente ou como homem de maneira a abrir mão de sua identidade dada por Deus, estará Deus manifestando a sua glória nela perante os homens e os anjos? É obvio que não!(I Cor 6:19-20) "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espirito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus e que não sois de vós mesmo? Por que fostes comprado por bom preço; glorificai, pois, a DEUS no vosso CORPO, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus."A presença de Deus no templo que é o corpo faz do corpo propriedade exclusiva dEle; é a sua casa onde Ele manifesta a sua glória; ora sendo assim o crente não pode ser entregue à imoralidade, sensualidade, libidinosidade, depravação, devassidão, torpeza, vaidade etc. nem a degradação da identidade dada por Deus. (Gn 1:27) "MACHO E FÊMEA OS FEZ." ; (Deut. 22:5) "Não haverá traje do homem na mulher"
Examinamos (Deuteronômio 22:5) e (I Timóteo 2:9), que ensinam claramente que a roupa apropriada para uma mulher consiste em uma "traje honesto, com pudor e modéstia" [(decoro)]. Era somente para homens o "cingir os lombos" (Jó 40:7) depois de exposto suas pernas e a parte baixa das coxas, cobertas com calças. O frouxo e longo vestido da mulher era deixado solto e as calças nunca fizeram parte do guarda-roupa que Deus quis que as mulheres tivessem.
Pus-me a pensar: "Por que este tema é tão explosivo?" Já ouvi pastores pregarem contra a música do rock-and-roll e as pessoas traziam suas fitas cassetes e discos, e quebravam a todos eles. Já escutei pastores pregarem contra o álcool, pornografia, novelas, e toda classe de pecados vis, e nunca ouvi ninguém tentar justificá-los. Mas é só o pastor pregar contra as mulheres que vestem calças compridas, shorts, biquínis, saias curtas e vestidos/blusas decotados, de alcinhas, justos, transparentes, de barriguinha de fora, ou "reveladores", e logo explode uma guerra mundial. Igrejas já se dividiram, amigos já se separaram e a obra de Cristo tem sido danificada porque muitas mulheres insistem em dizer que não há nada de mais nessas roupas da moda, enquanto Deus diz que há. Por que é assim?
Homens afeminados, libidinosos, mulheres masculinizadas e depravadas, são certamente mais comuns hoje que em qualquer outro tempo desde Sodoma e Gomorra. No entanto, nunca ouvi falar de homens salvos insistirem em se vestir com roupa de mulher nem sensualmente em igrejas que pregam a Bíblia. Nunca vi homens serem convidados para vir ao altar deixar suas saias. Não é verdade? Isto não é um problema para os homens de nossas igrejas. Mas as mulheres que não querem renunciar a suas calças compridas e roupas sensuais têm sido responsáveis por muitas divisões em igrejas. Milhares trocaram suas membresias ou completamente deixaram de ir a qualquer igreja porque as calças e as roupas sensuais tinham uma âncora inarredável, um lugar muito importante em seus corações.
Muitas irmãs não percebem ou não querem perceber que suas roupas sensuais que estão a mostrar todo o seu corpo, usando aquilo que Deus diz que a torna abominável, calças, e pior coladas e muitas vezes transparentes a exibir todas as suas formas ( eu digo todas mesmo), suas saias curtas seus decotes suas blusas de alcinhas, principalmente quando usadas no Santuário na Casa de oração de Deus, lugar de reverencia, de respeito, de recato, de temor, de pureza, de meditação, de adoração etc. tiram toda a atenção não só dos visitantes mas também dos seus irmãos em Cristo. São realmente usadas como pedra de tropeço por satanás.
E muitas vezes fora da igreja não são a luz do mundo, ao contrário expondo aquilo que é o templo do Espirito Santo, ou seja o seu corpo, ao vitupério, vergonha ao escárnio, quando à elas são dirigidas palavras obscenas pelos homens incrédulos { lá vai a crentinha bla,bla,bla bla, não me atrevo a traduzir o bla,bla}e assim fazendo com que o nome de Cristo seja blasfemado pelos gentios [incrédulos].
Muitas destas mulheres não se rebelariam contra a pregação de qualquer outro tema; mas teriam um ataque histérico se um pastor se levantasse e pregasse sobre (Deut 22:5) dizendo que as mulheres não devem vestir-se com roupa de homem. É óbvio que o Diabo cravou fortes garras tem uma forte influência na vida de muitas mulheres mesmo salvas (será se são realmente salvas?), nesta área. A santificação isto é, a separação do mundo em nossas normas de vestir, trará mais problemas para uma igreja do que qualquer outra coisa. Pergunto-me, novamente: Por que este é um tema tão polêmico?
Ao estudar este tema durante vários anos e examinar mais sobre o que a Bíblia diz sobre este assunto, tudo ficou mais evidente. Quando Deus deu as diferenças entre o homem e a mulher, Ele elegeu a mulher para que vestisse vestido e tivesse o cabelo longo, os quais são mais femininos. Deus ordenou que os homens se vestissem com calças e que tivessem o cabelo curto, os quais são por natureza mais masculinos.
A Bíblia é tão clara que podemos distinguir plenamente o que é apropriado e natural, a menos que nós nos tenhamos programado contra os ensinamentos naturais que Deus colocou dentro de nós. (I Coríntios 11:14) diz:"Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?" A natureza nos diz que um homem deve ter cabelo curto e que o cabelo da mulher deve ser o oposto e deve distinguir-se facilmente do cabelo do homem.
As distinções que Deus exige haver entre um homem e uma mulher devem apontar plenamente para a diferença de posição que Deus espera para eles em Sua hierarquia de autoridade. (I Coríntios 11:3) diz: "Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo."Assim como o cabelo curto fala da posição e responsabilidade do homem, as calças, sendo identificadas como roupa masculina, se tornaram símbolos da autoridade do homem.
A hierarquia de autoridade era um detalhe muito pequeno no plano original de Deus. Quando não havia pecado, não havia perigo de conflitos referentes a vontades ou direções. Mas tão logo entrou o pecado no mundo, a necessidade de autoridade e comunhão vieram com ele. Imediatamente depois da queda, em (Gênesis 3:16), Deus detalhou Seu padrão para a humanidade. "E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará."
Dr. Charles Keen, em uma de suas mensagens sobre o lar, disse algo assim: "Gosto que meus filhos reconheçam quem é o cabeça da nossa casa. E eles percebem e aceitam que o papai é o cabeça e que a mamãe está abaixo de sua liderança. Mas quando os dois estão cheios do Espírito Santo e operam em amor e consideração de um para com o outro, são poucas as vezes nas quais é necessário que esta hierarquia seja acionada e visivelmente demonstrada. Uma união perfeita, aquela que Deus quis originalmente para o matrimônio, não necessitou muito de uma hierarquia de autoridade. Mas hoje, como pecadores, temos que ter esta regra de autoridade em nossos lares. Mesmo que, quando o nosso propósito e desejo for unido, haverá pouca demonstração (a um espectador externo) de quem manda e de quem é submisso. Este é o tipo de clima amoroso que quero ver no meu lar".
Com o pecado, foi asseverada a necessidade de autoridade e de submissão, e a Bíblia é clara em declarar que o comprimento do cabelo verdadeiramente feminil de uma mulher é uma manifestação da sua entrega interior à autoridade de seu marido. Imediatamente, depois destes versículos, a Bíblia segue dizendo: "Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos...Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu." (I Coríntios 11:10,14,15). A palavra "poderio" significa "jurisdição", privilégio, direito de governar" referindo-se a seu marido. Então, o cabelo longo de uma mulher mostra o direito de seu esposo ser seu cabeça, é isso que Deus diz através de sua Palavra!
Estes versículos nos dão normas específicas sobe o comprimento do cabelo de uma mulher. "Mas quão curto é curto e quão comprido é comprido?" Estou certa de que já ouvi esta pergunta antes! O cabelo de uma mulher deve ser suficientemente comprido para ser considerado um véu
Deus disse que uma mulher deve ter cabelo comprido. Primeiramente, é um símbolo externo de sua submissão voluntária a seu marido. Segundo, Deus nos disse que isto é por causa dos anjos. Talvez a questão do comprimento dos cabelos não pareça algo muito importante a outras pessoas; mas Deus disse que, na área espiritual, isto é muito importante, porque é observado por seres espirituais. Devemos concluir, então, que não só os anjos, mas também Deus e Satanás, observam o comprimento do cabelo de uma mulher e o significado que ele encerra.
Vejamos outra vez (I Timóteo 2:9): "Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia... A mulher aprenda em silêncio, com toda sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão." (I Tim 2: 9,11-14) Deus nos mostra a relação entre o cabelo da mulher e sua voluntária submissão à autoridade dada por Deus. E nos mostra outra vez a relação entre uma mulher usando roupa pudica por fora e sendo submissa a seu esposo por dentro. Imediatamente depois do mandamento para a mulher usar vestidos compridos e largos, se mostra outra vez a hierarquia de autoridade. Não somente nosso cabelo, mas também nosso vestido é um sinal exterior de nossa submissão interna a Deus e a nossos esposos.
Na parte dois, com a carta de um pervertido escrita a Ann Landers, mostrei qual é nossa resposta natural quando um homem se veste com roupa feminina. Ninguém nos ensinou: "Isto é mau! Isto é mau!" Ninguém teve que fazê-lo. Já sabemos que é mau. Tanto como a "natureza mesma nos ensina" sobre o comprimento do cabelo de homens e mulheres, assim também nos ensina que é tão mau para o homem usar vestido quanto é mau para a mulher usar calças compridas.
A Bíblia nos mostra a relação entre a submissão e a rebelião de uma mulher no modo de se vestir.
Calças compridas sempre têm sido símbolo do homem e de sua autoridade. Quando se procura um banheiro público, vê-se duas portas sem palavras nelas. Uma porta tem pintada a sombra de uma mulher com saia e a outra a sombra de um homem com calças. Isto lhe causa dúvidas? Faz com que você se detenha em frente à porta e pense: "Qual é qual"? Claro que não! Já sabemos, pois calças têm sido associadas a homens, através dos séculos. Características e exclusivas dos homens. Mesmo o mundo o sabe; quando as pessoas não evangélicas vão batizar os seus filhos recém nascidos , se for uma menina compram uma calças ou vestido para o batizado? Vocês já assistiram quantos casamentos em igreja onde a noiva usava calças? Desde a muito as calças sempre foram vestes masculinas; e quem não conhece o adagio popular, você não honra as calças que veste? Este adagio é sobre o homem ou a mulher?
Infelizmente, hoje, porém, se tomássemos esses símbolos seriamente segundo o uso recente (no caso do banheiro), necessitaríamos de apenas um banheiro porque quase todo o mundo se veste de calças compridas hoje em dia. Isto chegará a ser algo muito comum: um só banheiro para mulheres e homens!
Por muitos anos, tenho escutado pessoas dizerem isto: "Não há dúvidas sobre quem veste as calças compridas nesta família." As calças são um símbolo da autoridade do homem. Quando uma mulher se veste com calças compridas, mostra em seu corpo uma mensagem sobre o que há em seu coração. A Sra. Libby Hanford fez uma declaração de extrema verdade e poder quando deu título a seu livro: "Tua Roupa Fala Por Ti." Amiga, a roupa que você usa diz muito de você mesma. Quase todas as pessoas que você vê todos os dias não se detêm para lhe falar, mas podem ler claramente a mensagem que você dá, pela maneira como se veste.
Então, que dizem suas calças compridas de você? "Eu sou meu próprio chefe. Eu tomo as rédeas, e meu marido ou meus parentes não têm nenhum direito de dizer-me o que fazer. Eu recuso obedecer à autoridade que Deus pôs sobre mim." Isto é clara e simples rebelião. O primeiro pecado na História foi a rebelião. Satanás se exaltou a si mesmo contra Deus e caiu de sua grande posição no céu. Todo pecado que já se cometeu provém deste pecado.
O primeiro pecado da humanidade teve suas raízes na rebelião. O Diabo prometeu a Eva: "Sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." Parte da tentação que fez Eva cair foi o desejo de ser como Deus, não em santidade mas em poder e autoridade. Satanás animou Eva a compartilhar o pecado da rebelião e nos anima na mesma direção. Eu nunca compreendi porque o pecado de vestir-se com roupa de homem era tão grande abominação quanto as mais horrendas ações imagináveis. Eu não entendi isto, até que me dei conta de que o pecado da rebelião era a base de toda a questão.
De acordo com tudo que temos estudado na Bíblia, a mulher que veste calça comprida é claramente um símbolo de rebelião. É por isso que esta moda é uma das ferramentas favoritas usadas pelo Diabo. Note bem: depois de popularizadas, as calças compridas não saíram mais de moda, o que é o normal para todo artigo de vestiário. Calça comprida para mulheres é uma das seleções favoritas de "roupa mundana" que o deus deste mundo quer que usemos, porque indicam claramente seu pecado favorito: a rebelião.
Muitas mulheres são rápidas para citar I Samuel 16:7"... o homem vê o que está diante dos seus olhos, porém o SENHOR olha para o coração."Sim, é verdade. Uma pessoa que se cobre por fora, vestindo-se corretamente, mas cujo coração está cheio de maldade, não pode enganar a Deus. Deus olha o coração, mas isto não significa que Deus está cego à aparência externa. A Bíblia é muito clara em dizer-nos que nossa aparência é importante, se não fosse assim estes versículos não se encontrariam em suas páginas. Também não esqueçamos que "O homem vê o que está diante de seus olhos."Não pode ver o coração, ouvi uma história que certa vez um pastor chamou uma jovem senhora membro de sua igreja para aconselhá-la sobre a maneira como ela estava se vestindo (com suas calças a marcar todo o corpo principalmente), após a exposição da palavra de Deus, ela lhe deu a seguinte resposta: Pastor Deus olha para o meu coração! Ao que o pastor respondeu-lhe: Sim minha irmã mas os homens olham para o seu traseiro!
As pessoas não podem ver nossos corações para saber o que há dentro, mas elas podem discerni-lo pelo que estão vendo por fora.
Quando um caçador vê um pássaro gordo, com um bico grande e amarelo que caminha para o lago, mata-o antes de saber que animal é? Não, não faz isto. Você diz: "Ali vai um pato." Agora, como se pode captar tanta informação sem ter visto o que havia por dentro? Será que Deus nos fez de modo que quase tudo que está por dentro possa ser identificado pelo que se vê no exterior?
Um livro é reconhecido por sua capa. O que está escrito na capa dá uma idéia geral do que se encontra em suas páginas. Ninguém colocaria por título "Como Cozinhar" na capa de um livro cheio de plantas de casas. Da mesma maneira, o que está dentro do nosso coração está claramente refletido para fora através de nossas ações, nossas atitudes e também nossa roupa. Se sua roupa fala por você, então o que está ela dizendo ao mundo?

PARTE 4

Quão rápido a gente esquece! Quando se fala de normas bíblicas de se vestir, muita gente olha como se nunca se tivesse escutado tais coisas. Mas eu me lembro, durante meus tempos de escola pública, quando eu ia comprar roupa para a escola: significava ter que comprar vestidos! Ou saias! Eu estava no quinto ano quando permitiram às professoras e às alunas vestir calças compridas na escola. As mulheres que trabalhavam no banco que ficava no outro lado da rua, eram obrigadas a trabalhar com vestidos como o era em quase todos os empregos.
Desculpe-me, mas eu não sou tão velha. Isto sucedeu há apenas uns 20 anos! Isto era o mundo, as igrejas e tudo o mais. Mas se você mencionasse isto a alguém agora, o olhariam como se estivesse se referindo às trevas da Idade Média . Como é que em 20 anos partimos do ponto em que as mulheres se vestiam com vestidos e saias em público, até o ponto em que muitas mulheres da minha idade, e as mais jovens, não têm um só vestido em seus guarda-roupas?!...
Mas falar a respeito disto em pleno século 21 parece loucura , mas isto aos não espirituais, "por que eles não entendem a palavra de Deus pois lhes parecem loucura."
É só uma coincidência que, durante o mesmo período, o nível de divórcios subiu, de modo que, de cada 2 casamentos, 1 resulta em divórcio, e, em alguns lugares, há hoje mais divórcios que casamentos? Será mero acaso que nos últimos 20 anos o homossexualismo tem aumentado e sido amplamente aceito. Não é por acidente que durante estes 20 anos temos experimentado o maior desmoronamento tanto do lar quanto do papel tradicional e bíblico de esposos e esposas, o que tem afetado até mesmo as famílias dos crentes. Há, agora, mulheres que têm uma carreira enquanto seus esposos se tornam "o Sr. Mamãe" e ficam em casa com os filhos. Em muitas famílias o esposo e a esposa têm trabalhos diferentes, vivem vidas independentes um do outro e deixam que outros cuidem de seus filhos ou permitem que se cuidem a si próprios.
Da mesma maneira em que as mulheres têm recusado autoridade sobre si, ao "usarem as calças compridas da família," estão também usurpando esta autoridade e causando este grande desmoronamento. Agora vivemos numa segunda geração onde muitos homens adultos foram criados em lares onde a mãe usava as calças compridas da família — não só nas roupas — mas também na autoridade. Talvez você pense que isto não é de muita importância mas, de acordo com as normas bíblicas, deveria se declarar emergência nacional.
Falamos sobre as roupas que não são corretas mas por que não ver o que é certo? Se você é como eu sou, apesar do seu desejo de fazer o que é certo na área de vestir-se, tem perguntas que não têm respostas. Uma das perguntas que eu tive que enfrentar acerca deste tema em minha vida foi a seguinte: "Se Deus espera que nos vistamos como as mulheres se vestiam na Bíblia, por que é que não temos que nos vestir com vestidos que chegam até o chão? Por que é aceitável vestir-se com vestidos que só chegam até abaixo do joelho?"
(I Timóteo 2:9) é a base bíblica para estas normas de vestir; diz que uma mulher deve vestir-se com roupa pudica (grego Katastole), uma roupa solta e comprida. Isto aprofunda uma distinção a notarmos COMPRIDA. Alguém vai dizer: "Quão comprida é comprida e quão curta é curta?" O mundo não se preocupa de ser demasiado mundano, mas parece que "os crentes" estão se esforçando muito para não serem "crentes demais".Por que é que queremos nos vestir como o mundo se veste e nos convencer de que Deus aprova isto? O mundo chama uma mini-saia de mini e, de alguma maneira, pensamos que podemos modificá-la para que signifique maxi. A Bíblia define quando comprido é comprido? Há alguma referência sobre o tamanho do katastole?
Babilônia é chamada, no livro de Apocalipse, de "a mãe das prostituições." Nos primeiros versículos de (Isaías 47) que já lemos, há um comentário de como a Babilônia deixou sua virgindade e se tornou prostituta. Creio que se refere a uma nação ou um império, mas penso que tem importantes ensinos literais para mulheres.
"Desce, e assenta-te no , ó virgem filha de Babilônia; assenta-te no chão; já não há trono, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada' a tenra' nem 'a delicada'. Toma a , e mói a farinha. Remove o teu véu, descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum. O nosso redentor, cujo nome é o Senhor dos Exércitos, é o Santo de Israel. Assenta-te calada, e entra nas trevas, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada senhora de reinos."(Isaías 47:1-5).
Note primeiro que ela deixou sua posição real para sentar-se no meio do pó. Perdeu o encanto da inocência e pureza. Quando deixou isto para trás, se pôs a trabalhar um trabalho físico muito pesado. Cortou seu cabelo "Remove o teu véu". E o mais importante para nós aqui é que descobriu suas pernas, mais especificamente parte de suas coxas. Aqui vemos que, no progresso de virgem ao ponto de converter-se em prostituta, ela descobriu parte de suas coxas. Um dos versículos diz: "passa os rios." Eu penso que isto significa que cruzou os limites naturais dados por Deus. Em descobrir suas pernas e parte das coxas, a Bíblia diz: "A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio"; As Escrituras também seguem dizendo que nunca mais se poderá falar dela como uma virgem ou mulher honrada, "senhora de reinos". Há algumas poderosas lições nesta passagem. O principal que desejo destacar é que, para Deus, descobrir parte de as coxas é o mesmo que se desnudar. Se alguém recomendasse a uma mulher que fosse ao comércio nua, nós nos horrorizaríamos. No entanto, há muitas mulheres que são salvas (SEM SANTIFICAÇAO NAO VERAO A DEUS) e pensam que está bem se estão apenas 75% ou 80% nuas. Parece que não queremos nos vestir de uma maneira ofensiva ao mundo, mas não pensamos se isto está ofendendo a Deus ou não. A nudez inclui o descobrir parte de as coxas, então somente um vestido folgado e comprido passa no exame de Deus como sendo roupa pudica, roupa que DEVE cobrir o corpo e as pernas da mulher até abaixo dos joelhos. E eu acrescentaria que deve cobrir tudo das coxas sempre: quando você está parada, sentada, caminhando, inclinando-se e qualquer outra coisa que você faça. Você não encontrará um vestido ou uma saia que escassamente cubra os joelhos e que possa cobrir uma mulher pudicamente todo o tempo. Vestidos e saias devem ter um comprimento EXTRA, para você poder viver sua vida tranquilamente.
A Bíblia fala do "enfeite da prostituta."E eis que uma mulher lhe saiu ao encontro com enfeites de prostituta, e astúcia de coração." (Provérbios 7:10). Você já parou para pensar que tipo de roupa ela usava? Que era o que mostrava a imoralidade de uma mulher para que um homem soubesse que estava "disponível"?
Uma mulher não podia sair em público com roupa curta ou justa o suficiente que revelasse seu corpo. Mas uma prostituta revelava seu corpo tendo aberturas na saia para mostrar suas pernas enquanto caminhava. Revelar as pernas a homens era como "propaganda". Não havia nenhuma dúvida nas mentes dos homens de que aquele era o "uniforme de uma prostituta". Durante nossa vida, temos visto a moda de saias com aberturas, mas esta moda não é nada nova. Estamos na era em que quase todos os estilos de roupa que são populares, há tempos atrás eram propagandas de prostitutas, por isso não é surpresa descobrir que só uma pequena percentagem de moças das escolas públicas mantêm sua pureza sexual até chegar ao altar matrimonial.
Se a roupa pudica significa katastole (uma roupa folgada e comprida que cobre completa e sobejamente as coxas), então não inclui os shorts. Nem as mini-saias. E, definitivamente, não inclui os maiôs de duas peças, os biquínis. O fato de seu umbigo estar coberto não faz seu traje de banho ser pudico. Não existe esta coisa de um traje de banho de uma só peça ser pudico, a não ser que cubra do colo até os joelhos, folgado e comprido. Não tenho escutado sobre este assunto, e você?
Se você não se deita em seu quintal sem roupa nenhuma, tão pouco deveria deitar-se lá com maiô. Deixe-me dar um exemplo da pregação de meu esposo: muitas vezes, ele pergunta: "Você se chatearia em explicar-me porque necessita bronzear essa parte do corpo que não planeja mostrar?" Se você estava planejando vestir-se pudicamente, então também pode se vestir pudicamente enquanto toma sol, pois toda a parte do corpo que pensa mostrar estará bronzeada. Não é verdade? Se as mulheres estivessem mais preocupadas com o caráter de cada uma, seu caminhar com Deus, seu matrimônio ou seus filhos, do que com o bronzeamento de sua pele, este país não estaria em tão mau estado. Estou segura de que você espera que eu troque de tema, vamos em frente.
As mulheres devem vestir-se pudicamente. Leia sua Bíblia no sol do verão e veja se pensa do mesmo jeito no frio do inverno. A Bíblia não muda a cada temporada como seu guarda-roupa. Muito menos ela muda de local para local. Deus diz a mesma coisa para o calor de Miami como o diz para o gelo de Alaska. "Mas faz calor lá fora." Estou segura de que também fazia calor nos tempos da Bíblia, quando Deus disse que as mulheres se vestissem com pudor.
Eu escutei meu esposo dizer: "eu não sou contra o estar nadando com o sexo oposto: eu sou contra a nudez com o sexo oposto." O problema não é a água ou o esporte, é a falta de roupa. Em acampamentos de crentes, deve ter um horário para que as mulheres nadem privadamente, depois um horário para os homens. Mas o mundo não nos faz esse favor. Talvez haverá oportunidades quando sua família irá nadar ou brincar na água, mas todos deverão estar vestidos com roupas normais e com a condição de que elas não se façam transparentes quando molhadas. Digo mais: Ainda que você esteja vestida pudicamente, proponha-se que nunca deve expor seu marido, seus filhos ou você mesma a um ambiente onde outras pessoas estão mostrando sua nudez. Se você leva seu marido à praia ou à piscina para que contemple mulheres de maiô e biquíni, você tem um oco na sua cabeça!.
O pastor Bill Goddard, em um sermão, apresentou o tema do "pudor no vestir" da seguinte maneira: "Se uma mulher viesse cantar um especial aqui no púlpito e se apresentasse em trajes íntimos, vocês ficariam escandalizados e enojados. Mas vamos supor que ela chegasse à plataforma da igreja para fazer um solo especial usando apenas sua roupa íntima, e tivesse pintado flores ou raios sobre esta, para fazê-la mais apresentável. Seria isto agora aceitável? Mas que tal se trouxermos um caminhão cheio de areia, umas palmeiras e água bonita que pudesse rodeá-la enquanto canta um antigo e lindo hino da fé, vestida só com a roupa íntima decorada com flores? Agora estaria tudo bem, verdade? No entanto, se a transferíssemos para a verdadeira praia (com seus verdadeiros coqueiros, a areia e o mar), seria agora mais tolerável que ela representasse ao Senhor e cantasse para Ele vestida só com roupa íntima decorada com flores? Se não seria correto cantar hinos vestida desta forma, então não é correto fazer nenhuma coisa vestida ou, melhor dizendo, desvestida desta maneira. Nosso trabalho é representar o Senhor em todo o tempo".
Das mulheres que não se atrevem a aparecer à porta com roupa íntima, muitas não têm problema em sair ao pátio ou à praia em traje de banho que cobre do mesmo jeito, ou menos. Como é aceitável ao mundo, muito de nós só nos preocupamos em agradar ao mundo e então fazemos como eles fazem, e não nos importa o que Deus chama de nudez.
Se a Babilônia cruzou os limites dados por Deus quando ela descobriu parte de suas coxas e suas pernas para serem vistas publicamente, então Deus tem um limite ou uma fronteira de pudor para nós também. A Bíblia impõe o limite de os vestidos ultrapassarem sobejamente os joelhos, para só assim prosseguirmos na prova de Deus, para uma roupa pudica.
Talvez você se surpreenda ao aprender que não é somente Deus, a Bíblia e os pregadores antigos que pensam que uma mulher que descobre suas partes coxas, colo, barriga, costas, etc. é despudorada... Mary Quant, a estilista que desenhou a mini-saia, disse isto: "Sou eu a única mulher que quer deitar-se com um homem estranho ainda durante a tarde! Qualquer mulher fiel à lei pensava que tinha que esperar até que escurecesse. Bem, há muitas mulheres que não querem esperar até à noite. Eu fiz as mini-saias para que um homem possa olhar para você e dizer: ‘Aqui está uma mulher que me dá tudo que quero. O vestido me diz isto.' "
A mini-saia foi introduzida há 20 anos e se conheceu como a marca registrada da revolução sexual. O mundo está de acordo que mostrar partes das coxas é convidar à imoralidade.
A Bíblia diz que se um homem olha para uma mulher cobiçando-a, já cometeu adultério em seu coração. Mas quando uma mulher provoca tal atenção pela maneira como se veste (ou realmente não se veste), então ela está pecando tanto quanto ele. Ela também cometeu adultério, em seu coração.
Aqui há uma porção do sermão do Dr. Jack Hyles, "Mini-saias à luz da Bíblia": "Você sabe que o atrair um homem expondo em demasia seu corpo é um vil e derrotado "atalho" para você ser realmente atrativa? Você sabe o que é que real, e pura e duradouramente atrai um homem? O doce mistério da feminidade de uma mulher. Quando você se descobre e trata de atrair um homem, estritamente por meio de seus sentidos físicos, você está usando um vil e derrotado "atalho" para atraí-lo, e isto ultrapassa a maneira eficaz e bíblica como se deve atrair. A Bíblia diz:'incorruptível traje de um espírito manso e quieto '(I Pedro 3:4); este é o doce mistério sobre a personalidade da mulher. Eu penso que você deve ser bonita e deve ser atrativa interna e exteriormente. Esta é a maneira bíblica de merecer e ganhar a atenção. Mas o expor seu corpo para chamar a atenção é uma maneira de recebê-la sem trabalhar por ela e sem merecê-la e sem conservá-la. Qualquer uma pode chamar a atenção se não usar roupa, mas Deus manda que você seja uma verdadeira dama para receber atenção em decorrência do doce mistério da sua feminilidade. Esta não é somente a opinião de um grande pastor; mas de um homem que sabe como os homens são afetados pela nudez do corpo de uma mulher.
Que tal a parte superior do corpo: o peito, o busto, os ombros, as costas, e a barríguinha? Qual é a posição da Bíblia quanto a estilos decotados, vestidos de verão, etc.? Não há dúvida alguma de que a parte central do corpo deve ser coberto. Em Gênesis 2 encontramos Adão e Eva, esposo e esposa, em um estado de inocência. Não conheciam o pecado, não tinham uma natureza pecaminosa, nem desejos maus. Quando pecaram e perderam sua inocência, imediatamente perceberam a necessidade de usarem roupa. "Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais." (Gênesis 3:7). Mesmo que em estado pecaminoso, se deram conta da necessidade de cobrir-se. Então, com sua lógica humana, decidiram fazer aventais com folhas de figueira. Quando Deus interviu, os cobriu com "longas-túnicas de peles"(Gênesis 3:21). Eu me dou conta que isto mostra a diferença entre a justiça feita por homens e o derramamento do sangue inocente por nossos pecados, mas não estou assinalando a diferença entre as folhas da figueira e as longa-túnicas de peles. O que eu quero é que você note a diferença entre aventais e longa-túnicas.
Você já se pôs a pensar quanto cobre um avental? Não muito! A palavra, em hebraico, significa uma cobertura para os lombos, talvez como a tanga das culturas pagãs. (Provavelmente, cobria mais do que a roupa que as pessoas de hoje usam na praia). Adão e Eva, no pior momento espiritual deles, sentiram a necessidade de cobrir-se. Mas o que eles creram que era suficiente, não o era para satisfazer um Deus Santo: o Deus Santíssimo fez para eles longas-túnicas de peles. Quanto cobre uma longa-túnica? Consideravelmente mais do que um avental, sem dúvida alguma! Provavelmente cobria o corpo tanto quanto um manto. Cobria todo o tronco e tudo das coxas.
Note que Adão e Eva estavam sós naquele lindo e enorme jardim-horto. Não havia ali outros homens que cobiçassem a Eva se ela fosse ao comércio. A única Pessoa que vinha visitá-los era Deus (neste ponto me pergunto, como pode se justificar que uma pessoa ande semi nu por causa da sua "CULTURA"?). Mas depois da queda, para que pudessem ter comunhão pessoal com Deus, Este quis que eles estivessem suficientemente vestidos (com roupas pudicas). (Jo 21:7) "Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (por que estava nu) e lançou-se ao mar."Pedro estava dentro do barco nu, e vestiu-se para entrar na água aonde ia se molhar, por que?
Isto significa, então, que Deus considera a roupa pudica importante em nosso caminhar com Ele? Eu penso que sim.
Temos um Deus Santo que não pode ter comunhão com o pecado. Ele pagou o supremo preço e deu Seu Filho para morrer em nosso lugar para que nossos pecados fossem perdoados e pudéssemos ter comunhão com Ele (E NAO MAIS NADAR QUASE NUS OU VESTIDOS DE MODO A ATRAIR A ATENÇÃO OU A COBIÇA). Toda a razão da santificação [separação do mundo e do pecado, para Deus] em cada área de nossa vida, não é que possamos nos gloriar em quão bons somos, nem em quanto mal não fazemos. O propósito é limpar nossas vidas de tudo que é ofensivo ao Deus Santo, para assim podermos ter comunhão consigo e gozarmos em caminhar e falar consigo. Como, uma vez, Adão e Eva o fizeram no jardim do Éden.
"Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso" (II Coríntios 6:17,18). Deus nos manda "saí do meio deles" (em vez de "saí do mundo"), porque é necessário que nos separemos do mundo (DAS COISAS, AMIZADES, LUGARES, LOCAIS, MODA, VESTIMENTAS MUNDANAS E DESPOUDORADAS) para que possamos nos aproximar de Deus.
Mas não tem sentido você separar-se do pecado [usando roupas como as das freiras romanistas, cegamente perdidas sob seu peso] se você não tiver uma doce comunhão com Deus e caminhar com Ele. A separação do mundo sem comunhão com Deus assemelha-se: aos israelitas no castigo do deserto, onde não podiam ter a comida do Egito [tipo do mundo], mas também não tinham o leite e o mel de Canaã; a diariamente recebermos alimento, roupa e moradia, mas não o calor e o afeto de uma família que nos ame e receba nosso amor. Em outras palavras, é LOUCURA. A resposta não é abandonarmos as normas de santificação, mas sim cultivarmos nosso doce caminhar com Deus, além da nossa separação do mundo.
Esta é a razão pela qual algumas pessoas (eu diria, muitas pessoas) se revoltam contra as normas bíblicas e voltam ao mundo. Consideraram as normas bíblicas como uma carga desnecessária, em lugar de vê-las como um caminho para apartar-se mais do pecado e chegar-se mais a Deus. Temos que cuidar para que a vida cristã não seja tomada como [mero] "Não farás"; temos que nos dar conta de que o propósito de Deus ao querer que deixemos para trás o errado e as coisas de pouco valor, é para que Ele nos possa dar algo muito mais maravilhoso e satisfatório a nosso espírito ( E SEJAMOS O EXEMPLO – BOM- PARA OS MUNDANOS E CRENTES CARNAIS E DE IGREJAS FALSAS). Não fique presa ao deserto; mas siga separando-se do mundo e se achegando a Deus.
Duas mulheres estiveram conversando sobre a grande diferença em seus estilos de vida, mesmo sendo as duas salvas ( A ULTIMA NAO ERA SALVA, POIS ERA MUNDANA...POIS AMAVA O MUNDO, PELO SEU MODO DE TRAJAR ...O AMOR DO PAI NAO ESTAVA NELA... Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 1 João 2:15 . Uma era uma crente obediente a Deus e separada do mundo, que vivia e se vestia de acordo coma a Bíblia. A outra mulher claramente levava a marca do mundo e isto era evidente em sua roupa, seus divertimentos e todas as áreas de sua vida. Tinha tudo que pensava que queria mas estava muito triste e invejava a paz e o contentamento que via na vida da outra mulher. Depois de falar por um pouco, ela disse [à primeira]: "Sabe, eu daria o mundo inteiro para ter a paz, o contentamento e a felicidade que tu tens." A surpreendente resposta foi esta: "Que coisa! Isto foi exatamente o que custou a mim."
Que vestirei? Eu só devo vestir-me com roupa pudica e folgada; Só com o que cobre todo o dorso e todas as coxas; Só com o que é claro e distintivamente feminino isto é, para uso exclusivo e característico das mulheres; Só com aquilo que passa no exame de Deus como sendo "um vestido comprido e folgado." Não permita que a moda, a influência do mundo, a conveniência, o dinheiro que gastou com seu guarda-roupa mundano, ou um espírito rebelde, façam desaparecer o desejo de obedecer a Deus sobre este assunto. Se o mundo oferece a você uma moda que se conforma ao guia bíblico de katastole, então podemos desfrutar este estilo de roupa "usando mas não abusando" do mundo. A meta principal é que agrademos ao Senhor.
Quando começamos este estudo, eu a desafiei a orar e a prometer a Deus que obedeceria tudo que fosse lido na Bíblia aquilo que não fosse um regulamento de homens, mas que certamente fosse o que Deus quer na área de vestimenta das mulheres. Agora é a hora de relembrar esta promessa e fazer decisões específicas e mudanças na sua vida. Espero haver apresentado claramente o que o Espírito Santo e meu esposo pacientemente me ensinaram da Bíblia sobre este tema, nos anos passados, e haver respondido à pergunta que você se fez: "Que vestirei?

POR FAVOR DESCULPE MINHAS DESCULPAS
[respostas a possíveis desculpas esfarrapadas]
P. Calças compridas não são mais pudicas do que vestidos, ao menos para algumas atividades?
R. Não, não são. A intenção de Deus não foi somente esconder a pele, mas sim esconder, também, os contornos femininos do corpo da mulher, que são intensamente mostrados nas calças compridas.
P. Não é demasiado inconveniente e incômodo usar vestidos todo o tempo?
R. Primeiramente, a conveniência e o conforto não devem ser fatores determinantes para o que fazemos (LEMBRE-SE...DEVEMOS NOS NEGAR A NÓS MESMO A CADA DIA). Devemos basear nossas decisões no discernimento do que é bom e do que é mau. Além disso, te sentirás mais cômoda com a roupa que usas mais. Quando decidires vestir-te só com vestidos e saias, e com pudicas saias-calças, então serão cômodos para ti, e com o tempo não poderás jamais imaginar-te à vontade com calças compridas.
P. Não é "legalismo" ter regras para sabermos como vestir-nos?
R. "Legalismo" significa agregar algo ao plano da salvação. Se eu te estivesse dizendo que tinhas que te vestir com um vestido para ser salva, então eu seria uma legalista. Mas não é isto o que estou dizendo. Jesus disse: "Se tu me amas, guarda os meus mandamentos." Se eu realmente amo ao Senhor, vou querer agradá-Lo. Isto é simplesmente um estudo bíblico sobre o que significa agradar e obedecer ao Senhor como Ele diz na Sua Palavra. Se tu pensas que uma mulher deve vestir algum tipo de roupa para sair em público, então tens normas de vestir. A diferença é que tu adquiristes tuas normas DO MUNDO (crentes perdidos), e nós as adotamos DA BÍBLIA (crentes salvos).
P. Se eu obrigo minha filha a vestir-se conforme a Bíblia, não estou fazendo com que ela se rebele?
R. Não, não é a regra contra comer doces que te dá cáries. São as más práticas, e não as normas bíblicas de vestir, que promovem a rebelião e o pecado. O que devemos fazer é ensinar nossas filhinhas, porque temos normas de vestir, mostrá-las o que a Bíblia diz e animá-las a obedecer a Deus porque querem agradá-Lo, não só porque mamãe e papai dizem que é necessário. Ao invés de atender à rebelião e deixar de lado a obrigação de fazer o bem, por que não expulsar a influência de fazer o mal? Talvez você esteja tendo problemas com uma filha adolescente porque você a permitiu se vestir de maneira imprópria durante muitos anos e agora, de repente, você quer que ela efetue uma profunda mudança. Ainda assim, o correto é correto, e Deus abençoa nossa obediência. Mas eu enfrentaria a situação com muita oração, como nas mais cruciais decisões da vida, e rogaria a Deus que Ele fizesse a mudança no coração para igualar as mudanças exteriores necessárias.
P. Uma vez que algumas coisas mencionadas no capítulo 22 de Deuteronômio tratam de leis cerimoniais em vez de leis morais, não é contrário às Escrituras usar o verso 5 como um argumento contra as mulheres que usam roupa de homem?
R. Não! Uma coisa que normalmente se faz QUANDO NÃO SE QUER obedecer um mandamento da Bíblia, é alegar que é uma lei cerimonial ou se trata de outra dispensação. No caso de Deuteronômio 22:5, muitas pessoas têm dito que o mandamento é inválido porque o versículo 9 proíbe que sementes de diferentes espécies sejam semeadas juntas, e o versículo 11 proíbe vestir-se com roupas que misturem diferentes tipos de fio. Estas eram leis cerimoniais que tinham um significado, um ensino espiritual. As leis cerimoniais acabaram quando Jesus morreu e proveu a forma verdadeira do que estas "figuras" representavam.
Apesar disto, as mesmas pessoas que dizem que o mandamento de distinção entre a roupa do homem e da mulher não é válido para hoje, nunca mencionam que os versículos de 1-4 tratam de preguiça e egoísmo, os versículos de 6-8 tratam de pecados sexuais como o adultério, a fornicação e o incesto. Será que estes temas são tratados como leis cerimoniais só porque aparecem no mesmo capítulo em que se manda não misturar diferentes tipos de fios em uma roupa de vestir (hein, hein, hein)? Será que isto significa que aqueles atos agora são aceitáveis? Os versos 6-8 poderiam ser tão facilmente considerados como parte do contexto de lei cerimonial quanto o versículo 5, que diz que uma mulher não deve vestir-se com o que apropriado ao homem; mas eu nunca escutei tal argumento ser usado para justificar o adultério, a violência ou o incesto. Os críticos contextuais por alguma razão nunca parecem notar estes versículos.
A segunda razão pela qual estou segura que não é uma lei cerimonial é porque é assinalada como uma abominação. Alguns dos atos mais malvados imagináveis são chamados de abominação. Homossexualidade, bestialidade, incesto, idolatria e atos de blasfêmia são assinalados nas Escrituras como "abominação", incluindo os homens e mulheres que se vestem com roupa que pertence ao sexo oposto.
Como certamente alguns varões estarão lendo esta singela missiva, fica aqui uma pequena exortação a eles!
Aparência do Varão Cristão para os Dias Atuais
Muitos homens hoje em dia, estão usado cabelo comprido. Esta moda tornou-se mais popular após os anos 50 com os Beatles e diversos conjuntos musicais. Chegava a era da rebelião do rock, drogas e imoralidade sexual. Dentro desse contexto, muitos argumentam que Jesus usava cabelo comprido e que isto não tem nada de mais. O uso de brincos também se seguiu, sendo cada vez mais usado, juntamente com as tatuagens e piercings. Antes de analisarmos tais comportamentos à luz da Bíblia vejamos seis conceitos fundamentais:
1. Quem ama os valores do mundo é descrente (1 Jo. 2:15).
2. O crente não pertence a si próprio, mas a Deus (1Cor 6:19).
3.O mundo e a sua cultura está sob a influência direta do Diabo ( Rom.3:23; 1 Jo. 5:19).
4.O crente deve influenciar o mundo e não ser influenciado por ele ( 1 Jo. 4:4)
5. Os padrões dos homossexuais e depravados devem ser rejeitados pelos crentes (Rom 1:18-32).
1) O cabelo curto do homem deve contrastar com o cabelo longo das mulheres.
O que vemos hoje é uma inversão de papéis e uma confusão generalizada feita pela mídia na cabeça das crianças e jovens do que é o papel do homem e da mulher. Muitos artistas e pessoas em evidência fazem questão de se parecer e agir como o sexo oposto. Vemos homossexuais em evidência nos programas de TV, talk shows exaltando o homossexualismo como "amor", mulher com a aparência de homem e homem com aparência de mulher! Dentre os traços distintivos, comecemos pelo cabelo. O cabelo comprido para o homem é uma VERGONHA. Vejamos os textos bíblicos:
1 Cor 11:14,"Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o varão ter cabelo crescido?"
Para os que dizem que isto era uma questão de cultura da época, uma pergunta? Qual a cultura que Paulo não queria ofender? Sendo que Corinto era uma Cidade portuária cosmopolita um centro comercial, passavam e moravam em Corinto gente de todos os lugares Romanos, Judeus, Gregos etc. existindo ali uma miscigenação de culturas (sábios que usavam cabelos longos, pagãos que usavam a cabeça raspada).
Isto não era, e não é uma questão de cultura é a norma de Deus!!!! (Pergunto, quem veio primeiro?"... a cultura humana ou DEUS COM SEUS PRECEITOS?"
Nota: No verso acima, a palavra desonra é "atimazo" no grego. De modo estarrecedor, encontramos em Romanos 1:24 ("...desonrarem seus corpos entre si."), esta mesma palavra, que é usada para condenar a depravação do homossexualismo! A palavra "atimazo" está anunciando que o mesmo tipo de pecado que faz o homem se tornar homossexual, o faz se tornar rebelde usando cabelo comprido, ou cometer tudo que o leva a uma aparência efeminada!
Note como o cabelo comprido era o uso devido para as mulheres:
Lucas 7:38, "E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça..."
(João 11:2)"E Maria era a aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos..."
(1 Pe.3:3)"O enfeite dela não seja o exterior, no frisado dos cabelos..."
Existe claramente uma demonstração que a mulher deve usar cabelo comprido em contraste com o homem. Isto é um princípio Bíblico que vale para todas as pessoas em todos os lugares em todas as épocas.
2) Jesus não era cabeludo.
Muitas obras de arte, especialmente pinturas, retratam um "Jesus Cristo", delicado, efeminado, com um olhar piegas e é claro: cabeludo. O filme blasfemo "Jesus Christ Superstar" apresentou um "cristo" POP, mundano e cabeludo. Será este o Cristo verdadeiro? Será este o Cristo de Isaías.53? Será que Ele que era realmente assim ou é pura criatividade dos artistas para se promover? Não, Jesus usava cabelo curto. Estudiosos sérios rejeitam totalmente a visão deturpada de pintores que não tinham compromisso algum com a verdade. Um pintor alemão chamado Fahrenkrog disse: "Cristo certamente nunca usou uma barba e seu cabelo sem a menor dúvida, era curto"
Jesus não era NAZIREU. Isto não tem nada a ver com viver em NAZARÉ. Em Nm. 6:1-27, aprendemos que o Nazireu, que era uma pessoa especificamente dedicada a Deus, não podia fazer 3 coisas:
- Não podia beber do fruto da vide. Jesus bebeu suco de uva várias vezes: A ceia foi uma delas.
- Não podia cortar o cabelo. Se Jesus tivesse cabelo comprido, como poderia pelo Seu Espírito inspirar os escritos de Paulo em 1 Cor 11:14? Impossível!
- Não podia tocar em nenhum corpo morto nem objetos em contato com esse corpo. Veja Luc. 7:11-18 como Jesus tocou no esquife do defunto.

3) Não só o cabelo, mas também a vestimenta do homem tem que ser diferente da mulher.
(Deut.22:5)"Não haverá trajo de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher, porque qualquer que faz isto abominação é ao Senhor teu Deus."Desculpa esfarrapada (dada pelo deus deste século... satanás): A mesma das mulheres "Ah! Isso é do Velho Testamento!" O inconseqüente que argumenta isso, desconhece que qualquer princípio do Velho Testamento repetido no Novo, aplica-se para nós hoje. Veja 1 Cor 11:14 já citado.
(1 Tim.2:9)"Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto com pudor e modéstia..."
4) O uso de brincos não convém nem ao homem incrédulo!
Muitos adolescentes, que possuem pais sem autoridade e omissos adotam o uso de brincos e ou piercings, porque acham "bonito", imitando os seus "ídolos" atletas ou artistas...Não precisamos nem ir muito longe na argumentação. Se no próprio mundo dos negócios, no militarismo, ou em qualquer instituição digna de respeito, o uso de brincos para o homem é reprovado, imagine para o cristão! As pessoas sérias não se identificam com homens que usam brincos. E o crente? Imagine o pastor de uma igreja séria de brinco! Não consegue visualizar, não é mesmo? Nem eu! Ele jamais poderia ter pregado as mensagens que prega e desfrutar do respeito que desfruta como crente, dentro do meio cristão e fora dele. Jovem crente, faço um desafio: encha-se de tatuagens, piercings e brincos e vá com sua cabeleira e com seu diploma conquistar o seu lugar no problemático e super competitivo mercado de trabalho! O que você acha sinceramente que vai acontecer nas entrevistas? Tente ser um empreendedor de respeito no mundo de negócios ou um alto funcionário do governo com esses adornos. Depois de 14.000 entrevistas, um gerente de pessoal, selecionador de uma grande corporação, disse sobre os candidatos cabeludos: "Eles tendem a rejeitar a autodisciplina, autoridade e os regulamentos...são mais facilmente levados pelas opiniões dos outros...são mais sonhadores do que fazedores...". Se não presta no mundo, pior ainda no templo do Espírito Santo!
5) O uso de brincos pelos homens foi incentivado pelos homossexuais.
Há alguns anos, era um escândalo, qualquer homem aparecer em público ostentando brincos, porém os primeiros homens que apareceram usando-os foram homossexuais, de modo que não havia dúvidas sobre o seu desequilíbrio sexual. No final da década de 60, o diabo operava intensamente usando a imoralidade para acabar com a vida de milhões de jovens. Vieram as explosões de rebeldia com os Beatles, Hippies, e os festivais de rock que se multiplicavam. Tudo culminou com a infâmia de Woodstock em 1969 onde sexo depravado, homossexualismo, drogas e rock fizeram a desgraça de uma geração rebelde. Hoje, várias entidades homossexuais promovem e vendem ornamentos como brincos, piercings e pulseiras, de modo a fazer com que o homem se enfeite mais e mais, fique com trejeitos, dando-lhe uma aparência efeminada. Os jovens que usam piercings, o fazem com um espírito de rebelião, contra seus pais e ou líderes sérios da igreja declarando visualmente que se identificam com o padrão de "machão" ou de "homossexual". É o espírito de Sodoma inflamado por demônios! Essa atitude de rebelião e arrogância é abominável diante de Deus que alerta:
"Honra a teu pai e a tua mãe para que se prolonguem os teus dias...( Ex. 20:12)
"Filho meu, ouve a instrução do teu pai, e não deixes a doutrina da tua mãe."(Pv. 1:8)
"...farei cessar a arrogância dos atrevidos..."(Is. 13:11)
"Vós filhos obedecei em tudo os vossos pais..."(Col 3:20)
6) O uso de piercing é condenado pela Bíblia!
Antes de considerar a condenação dos piercings pela Bíblia, vejamos os absurdos desta moda:
- Vai contra os dentistas que reprovam o piercing oral.
- Vai contra a higiene, pois abre orifícios no corpo sensíveis à infeção.
- Vai contra a decência, uma vez que se usa até piercings genitais e nos seios!

Deuteronômio 14:1"Filhos sois do Senhor vosso Deus; não vos dareis golpes..."

7) O uso de tatuagem é condenado pela Bíblia!
"Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne, nem fareis marca alguma sobre vós: eu sou o Senhor."(Levítico.19:38)"
"Não farão calva na sua cabeça, ... nem darão golpes na sua carne."(Levítico 21:5).
8) Quem viola os princípios de Deus por causa da moda é rebelde.
Estamos vivendo os dias anunciados em (2 Tim.3:1-5)"Sabe porém isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te."
Já estamos vivendo tempos trabalhosos! (2 Timóteo 3:1) O casamento e a ordenação de homossexuais já está em todas as denominações. No Texas está em construção uma catedral de 25 milhões de dólares! Usuários: uma denominação que aceita homossexuais! Estamos nos dias do fim! O Senhor não quer meio termo, e desafia através do anjo:
"Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda."(Apoc. 22:11)

9) Jesus não usava brincos, tatuagens ou piercings.
Jesus veio para cumprir a lei. Nele não se achou pecado ou engano. Ele não contradisse em hipótese alguma a própria lei de Deus Pai, dada a Moisés e aos profetas. Pela Sua íntima comunhão com o Pai, Jesus sabia que pessoas pecadoras e em rebeldia contra Deus iriam no futuro pecar contra o seu próprio corpo. Sendo assim, é impossível Jesus ter usado qualquer desses apetrechos. Em nenhum texto do Novo Testamento encontramos o qualquer indício de Jesus ter usado piercing tatuagem ou brincos. Não consigo ver o Salvador cabeludo, usando uma tatuagem no peito, um piercing na língua, outro na sobrancelha e ainda outro no umbigo. Os piercings ( pregos ) que atravessaram o Seu Santo corpo foram-lhe impingidos por homens pecadores que derramaram o seu Sangue.
10) O uso de brincos, piercings e tatuagens tem origens na feitiçaria e falsas religiões.
O uso de piercings está ligado a religiões orientais, idólatras e demoníacas. É uma prática abominável pelas associações que significa. As pessoas que furam seu corpo e usam essas coisas, não percebem que estão sendo instrumentos do inimigo. É um símbolo material da possessão demoníaca que também invade o corpo do homem, de modo violento e usurpador. Em situações mais radicais, os idólatras, quando pesadamente influenciados pelos demônios que cultuam, chegam até a amputar partes do corpo como ritual. Veja em 1Reis 18:28, como os profetas de Baal se desfiguravam e feriam seus próprios corpos como um ritual frenético, para que os deuses (demônios) atendessem suas preces em desafio ao verdadeiro Senhor e Deus de Elias. Ver também Mar 5:5 como o endemoninhado se feria. Veja este testemunho de um crente:
"Como ex-hindú eu sei que a prática dos piercings vem do hinduísmo e da feitiçaria. Os hindus furam as suas línguas com pequenas agulhas e perfuram todo o corpo com anzóis, entrando em transe. Eu testemunhei isso pessoalmente. Louvo a Deus que convenci alguns sobre as malignas tatuagens..."

Conclusão

O que o cabelo comprido, brinco, piercings e tatuagens significam para o homem hoje? Deixe o radical subversivo Jerry Rubin responder com o seu livro, "DO IT" (Faça-o): "Os jovens identificam o cabelo curto com autoridade, disciplina...Onde quer que formos, nosso cabelo mostra às pessoas como nos posicionamos... Estamos vivendo comerciais de TV para a revolução (note... por meio da televisão, o diabo divulga seus pervertidos valores)... O cabelo comprido é o começo da nossa liberação da opressão sexual que fundamenta toda esta sociedade militarista." O que este anarquista quer dizer é que o cabelo comprido simboliza a rebelião e indecência. O cabelo curto, simboliza as dignidades e obediência. É verdade.
PREGADORES, IGREJAS E PAIS DEVEM SE POSICIONAR CONTRA O CABELO COMPRIDO PARA OS HOMENS
Pais que permitem um filho ter cabelo comprido estão sendo coniventes e omissos, contribuindo para uma rebelião contra Deus, contra o testemunho cristão e contra o país. Este é certamente um passo para a perda de controle do comportamento de uma criança. Pregadores e igrejas que também são coniventes com este assunto, esperando alcançar mais jovens e não ofendê-los, estão na verdade lutando contra Deus e semeando uma apostasia sem retorno. Nos levantemos pela verdade e pelo direito, não importando o preço! Acreditamos que o jovem crente genuíno, quando ensinado sobre a verdade, vai rejeitar a moda dos piercings, brincos e tatuagens. Ele vai querer o seu cabelo curto. Cristãos informados não vão querer se identificar com a vergonha "atimazo" própria dos homossexuais ou com a rebelião e revolta revolucionária que o cabelo comprido, as tatuagens e os piercings simbolizam.
"E não comuniqueis com as obras as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as" ( Ef.5:11),"...para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa..."( Fil. 2:15)!
Bibliografia:
A aparência da varoa cristã adaptado de Cathy Corle
A aparência do varão crente para os dias atuais adaptado de José Pedro Monteiro de Almeida

Glória a Deus!
Glória a Deus! Glória a Deus! Glória a Deus! Glória a Deus! Glória a Deus!

QUEM LER ESTE LIVRO E FOR UM OU UMA SERVO OU SERVA DE DEUS DE VERDADE VAI ANUIR A TUDO QUE ESTÁ ESCRITO...MAS SE FOR UM FALSO CRISTÃO OU UMA FALSA CRISTÃ, SE OPORÁS ÀS VERDADES AQUI EXPLICITADAS.

POR JESUS MEU SALVADOR, PASTOR NONATO RAMOS